Aurora no Campo - Soja Diferente

Tire a mão de nossas sementes!

Hoje ocorre nas barracas dos movimentos um debate sobre ‘a privatização dos recursos genéticos e da agricultura familiar’. O público é formado, principalmente, por jovens do MST e do MAB. Eles realizam, nesta semana em Curitiba, seu segundo encontro nacional sobre ‘água e energia para a soberania do povo brasileiro’.

Em Porto Alegre, o enfoque principal foi ‘terra’. Aqui, trata-se mais de ‘água e sementes’. Mas, na verdade, trata-se sempre novamente da tríade ‘terra-água-sementes’. As três estão sofrendo intensa privatização. A tríade ‘multinacionais-agronegócio brasileiro-imprensa’ está cuidando disso.

Vamos continuar falando um pouco mais das sementes. Participam do painel três mulheres fortes da Via Campesina, do México, da Índia e de Bangladesh. Uma outra tríade. Silvia Ribeiro, do México, traça o panorama das sementes. Há 30 anos, ainda havia 7 mil empresas atuando na produção de sementes para a agricultura convencional. Há 10-15 anos, ainda restavam cem. Em 2006, trata-se de dez multinacionais químicas e de sementes, que controlam 50% do mercado de sementes.

 

Participação no mercado, em 2004 (valores em dólares norte-americanos)

1. Monsanto (EUA)

2,83 bilhões

2. Dupont/Pioneer (EUA)

2,6 bilhões

3. Syngenta (Suíça)

1,3 bilhões

4. Grupo Limagrain (França)

1,0 bilhão

5. KWS AG (Alemanha)

622 milhões

6. Land O-‘Lakers (EUA)

538 milhões

7. Sakata (Japão)

416 milhões

8. Bayer Crop Science (Alemanha)

387 milhões

9. Taikii (Japão)

366 milhões

10. DLF-Trilfolium (Dinamarca)

320 milhões

11. Delta & Pine Land (EUA)

315 milhões

 

 

Fonte: ETCGroup, 2005.

 

 

As sementes que 1 bilhão de campesinos(as) transmitem ano após ano, geração após geração, é uma história totalmente diferente. Suas tradições, cultura e independência são perseguidas sem tréguas por sementes-vinculadas-a-produtos-químicos, sementes transgênicas e, agora, a ameaça do gene terminator (3). Ela continua: “Em 2000, dentre as cem maiores economias do mundo, o número de empresas foi maior do que de países (representados por seu PIB). 51 versus 49 para ser exato. Entre estas cem grandes, o supermercado Wal-Mart é o maior entre os gigantes, maior do que qualquer empresa petrolífera. Tais empresas determinam o que será semeado, quem semeia; o que será produzido, como e por quem. Quem come e o que come. E quem não come e o que não come.”

Please follow and like us: