Supermercado Carrefour

Estas imagens voltam à minha mente, mas continuo sem ver a vaca e o bezerro muito menos os mil agricultores. Ainda tomo calmamente um cappuccino enquanto continuo a observar o movimento no mercado. Um ônibus circular me leva de volta ao congresso sobre reforma agrária. Fico sabendo do sucesso da manifestação no ‘Supermercado Carrefour’, próximo da universidade. Todos estão entusiasmados. Deve ter sido um momento tocante: a agricultora que ordenha sua vaca, protegida pelo cerco de mil agricultores. E os olhares de espanto dos consumidores que, também no Brasil, mal sabem de onde vem o leite UHT (2). Além disso, a imprensa compareceu em massa.

E assim fica demonstrado como o entendimento incorreto de compromissos pode levar uma pessoa das vacas leiteiras ao bacalhau. Para longe da multinacional francesa no Brasil.

 

Porto Alegre, 7 de março de 2006.

 

  1. Um ano mais tarde, a Sexta-Feira Santa e a Páscoa coincidem com o início de abril. Os camarões estão muito mais baratos que o bacalhau. Em Florianópolis, para cada 500 kg de peixe vendidos, duas toneladas de camarão trocam de mãos. Os vendedores atraem os consumidores com apelos como: “Vamos comer camarão, ‘tá mais barato que arroz!” ‘Arroz com feijão’, a base da alimentação do brasileiro. Tudo é possível! Camarões como exemplo concreto da batalha entre dois modelos de pesca. Desta vez, até a pesca artesanal de camarão dos Estados Unidos da América é derrotada pela criação em grande escala, industrial, de camarões no Nordeste do Brasil. Principalmente no Rio Grande do Norte é possível ver do avião os enormes tanques, geralmente nas mãos de asiáticos. Os norte-americanos apresentaram uma reclamação contra o Brasil na OMC. Isto é o contrário do que acontece habitualmente, pois o Brasil é campeão na apresentação de reclamações na Organização Mundial do Comércio. Enquanto isso, agricultura familiar ‘se aproveita’ do fato de os oceanos serem, gradativamente, despojados de seus peixes. Principalmente no interior de Santa Catarina muitos agricultores estão se dedicando à criação de peixes. Nos dias que antecedem a Páscoa, lá estão eles – com tanques d’água – nas praças e nas feiras coloniais para vender seu peixe vivo. Estima-se que, este ano, as vendas foram 33% superiores às do ano passado. Além das carpas e tilápias, são principalmente o pacu (espécie originária da região amazônica) e o bagre que, nestes dias, substituem o excesso ‘normal’ de carne.
  2. UHT: submetido a altas temperaturas, mais conhecido como ‘leite longa-vida’.

    [Foto 24]

    Pacu – escultura num restaurante de beira de estrada, Pantanal 2007.

Please follow and like us: