Straight Edge e Hardcore Entrevista Positive Youth

O Positive Youth foi formado em meados de 2005, com a proposta de fazer um hardcore simples e direto, com letras que abordam o cotidiano vivido pela banda no qual reside em seu todo na periferia de São Paulo, tendo em vista os mais graves problemas, como o grande número de jovens envolvidos não só com o tráfico de drogas, mais também, com seu consumo, tema que preocupa os membros da banda, outro tema que abordamos em nossas letras e apoiamos é a libertação animal, que todos na banda são vegetarianos e/ou veganos, participamos de coletivos em prol da libertação animal, como por exemplo, o “Coletivo Jornada Vegetariana”.
Além disso, já participamos de algumas coletâneas em pról da libertação animal, uma em Portugal que foi lançada em 2007 e outra no México em 2008. A banda tem uma participação efetiva como podemos perceber com o vegetarianismo, só que a postura da banda não tem a ver com uma visão radical de pensamentos. A banda passou por algumas mudanças em sua formação desde seu início, gravamos em 2006 uma Demo, que foi o primeiro material registrado do conjunto, agora no início de 2008 lançamos um Single, com o nome “Esperança”, vem com a nova formação e mostra sua evolução musical nesses três anos. Nesse meio tempo de banda, já fizemos vários shows importantes com bandas da América do Sul, como o En Mi Defensa (Chile), Reconcile (Argentina), Sudarshana (Argentina), recentemente participamos da última tour do Vieja Escuela (Argentina) aqui no Brasil e também dividimos o palco com o Bane (USA). Até que em Julho de 2008 lançamos nosso primeiro CD Full Lenght, intitulado “Seja Forte”, lançado pelo selo Seven Eight Life Recordings e desde seu lançamento seguimos divulgando-o. No meio desse ano de 2008 fizemos uma Tour Sulamericana passando por dois países, Chile e Argentina, em um total de seis shows em duas semanas. Uma experiência que nenhum da banda havia passado, tocar em um solo diferente para pessoas diferentes, acontecimento muito importante para a banda. Hoje, estamos prontos para divulgar o novo material, o álbum “Seja Forte”, e sempre aptos a produzir mais coisas, além de apoiar a cena Hardcore/punk de São Paulo, fazendo parte de um coletivo chamado “Sapopemba Crew”. Neste ano de 2009 temos novidades, aguardem!!!

1) Qual é a mensagem principal que a banda passa em suas letras?
PY – Tentamos passar sempre algo positivo, esperanças de mudanças, de fazer algo produtivo para sua vida e não ficar parado esperando algo acontecer. Somos a favor da defesa dos animais, por isso o vegetarianismo também se faz presente nas letras. Excluir seus preconceitos diante das pessoas que vivem a sua volta, pois somos todos iguais. E sobre a questão das drogas, não só relacionado ao Straight Edge, mas também a sociedade, ao seu bairro, ao seu amigo. Enfim, abordamos temas ligados ao Hardcore de um modo geral. (Rafael)

2) Vocês do Positive Youth são Straight Edge e Vegans. Essa é uma manifestação passiva onde não há algazarra e que se espande por meio viral com referências como documentários a respeito. Você acha que é possível, manifestando-se dessa forma, fazer uma mudança drástica na sociedade?
PY – Não dá para ficar imaginando muito até que ponto iremos atingir a sociedade quando agimos em prol de divulgar o vegetarianismo, porque sabemos que o efeito é de “formiguinha”, mas que podemos mudar muita coisa podemos, isso já foi provado nos eventos que ajudamos a organizar. Um deles é chamado “Jornada Vegetariana”, está no seu segundo ano e nesse ano de 2008 foram 4 dias de eventos, reunindo pessoas de diversas idades e estilos de vida, dando uma demonstração de que podemos fazer muito para divulgar as atrocidades que acontecem com os animais. (Edi)

3) Vocês são contra o uso de álcool, cigarro e drogas ilícitas em geral. Qual é o motivo para tal?
PY – Nós não somos contra nada disso, só achamos melhor ignorá-las, pois não acrescentam nada para nós nem para a sociedade a não ser para as grandes marcas que ganham uma grana através do vicio das pessoas. Esse é um dos motivos, mas também não usamos porque achamos que devemos ser livres de coisas que alteram nossa realidade, cometer erros porque está chapado e depois querer voltar atrás em suas decisões ou sair fazendo merda por ai. (Rafael)

4) Qual a relação do movimento Straight Edge com a política?
PY – Inicialmente, nos anos 80 quando ele surgiu, não havia nenhuma ligação com a política, mas ao decorrer do tempo, ela veio a fazer parte também da postura. Quando o Straight Edge chegou ao Brasil, no final dos anos 80 e as bandas começaram a surgir, a política se fez muito presente nas letras e idéias das bandas. Podemos tomar como exemplo o Point Of No Return, uma das primeiras bandas e uma das mais conhecidas dentro desse movimento no país, que sempre teve um forte teor político em suas letras e textos que integram seus álbuns. Acho que no Brasil, a política sempre se fez mais presente dentro do Straight Edge do que em outros lugares, talvez devido também a forte cena punk na qual o Straight Edge começou inserido. (Rafael)

5) Dizem que os três xis (xxx), símbolo do Straight Edge representa o corpo, a mente e a alma. Qual é o motivo específico para essa ligação?
PY – Bom, isso veio do Minor Threat. Não sabemos definir ao certo qual o motivo específico para essa tal ligação. Sabemos que eles o intitulam de “Flex Your Head”. Existe essa história que eles representam o corpo, a mente e a alma e também que o símbolo veio da música “Out Of Step” do Minor Threat. Alguns da banda têm o símbolo tatuado. (Rafael)

6) Vocês sofrem ou já sofreram preconceitos por seguir essa contra-cultura SxE?
PY – Sim, muitas vezes. Embora já estamos acostumados com o tipo de vida que levamos, e brincadeirinhas se tornam relevantes. Mas muito disso se deve a falta de informação, as pessoas nunca param pra pensar no “por quê” das coisas. Porque usar droga se ela só me traz vício e coisas ruins. Tratando-se do vegetarianismo principalmente. Então as pessoas falam sem pensar, aliás, talvez nunca pensaram no “por quê” de não comer carne. (Rafael)

7) Algumas pessoas adeptas ao movimento Straight Edge se abstêm do sexo casual. Você acredita que isso é um pouco extremista ou sua filosofia segue essa idéia?
PY – Não seguimos essa tal filosofia, e isso tudo é uma lenda que surgiu por causa do envolvimento de bandas hare krishna, porque já tivemos bandas com devotos de krishna, e como aqui no Brasil tudo chega deturpado, tudo ficou meio misturado. Mas fazer sexo ou não, depende de você, cada um é livre pra fazer o que quiser, porque Straight Edge é viver dentro da cena hardcore/punk sem utilizar qualquer tipo de drogas, é isso. (Edi)

8) Por que ser vegetariano? Você acredita que as pessoas deveriam abrir mão do prazer em comer carne para um bem social?
PY – Somos vegetarianos por muitos motivos. Pelos animais que sofrem todos os dias, pelo bem do meio ambiente e pela saúde. E ser vegetariano hoje pode ser visto como algo anormal para a maioria das pessoas, assim como a escravidão também já foi, e depois de todos caírem em si, viram o mal que aquilo tudo trazia as pessoas, então enquanto estiver a nosso alcance iremos divulgar o vegetarianismo. (Edi)

A pessoas reclamam muito do mundo como ele se encontra hoje, poluído e desmatado, se preocupam com a água do planeta que vai acabar, com a energia que é desperdiçada e principalmente com a fome. Mas ninguém faz nada para tentar mudar. O vegetarianismo poderia ser a solução para todos esses fatores citados. A pecuária é um dos setores que mais desperdiça e degrada o meio ambiente. Aí vem de novo o fator “informação”. Por isso, para chegar a esse bem social, só depende de cada um fazer sua parte. Até onde você está disposto para mudar? No nosso caso, abrir mão da carne, do sofrimento dos animais, é uma parte que fazemos para essa mudança e não é nenhum sacrifício para nós. (Rafael)

9) Atualmente está havendo um crescimento de bandas no meio Hardcore, o que populariza o movimento. Você acha que isso é algo positivo para as intenções do Positive Youth?
PY – Com o acesso a internet aumentando surgiram muitas bandas, pois hoje temos portais de música na internet com fácil acesso no mundo todo, é o caso do My Space. Você grava uma mp3, posta lá e depois divulga pro mundo todo, isso é bom, mas achamos que as bandas devem sempre tentar melhorar os seus trampos, porque não podemos cair no pensamento de só porque a banda é vertente do punk/hardcore então tem que ser algo tosco, porque também temos que fazer algo interessante, se reclamamos das merdas que rola na TV e rádio, por que iremos fazer merda também?
E as intenções do Positive Youth são sempre tocar e passar a mensagem da banda para todo tipo de público, porque temos em mente um pensamento de mudança, e tentamos passar isso às pessoas, mas não acredito que fique tão popular não. (Edi)

É sempre bom surgir novas bandas na cena, desde que tenham um comprometimento sério, não que tenham de ser Straight Edge, mas que tenham boas intenções, boas idéias. A cena só tem a ganhar com isso. (Rafael)

10) Há esperança do Positive Youth crescer no Brasil, junto com a cena Hardcore, a ponto de viver só de música, sem se adaptar aos critérios de produtores Mainstream e se tornarem bandas comerciais como Nx Zero?
PY – Esperança de crescer no Brasil junto com a cena Hardcore sim, é o que esperamos, não que seja uma necessidade, pois não queremos ser “famosos” ou algo do tipo e a cena não precisa de número (de pessoas) precisa de pessoas verdadeiras e empenhadas em fazer alguma coisa produtiva. Viver só de música achamos muito difícil, pois nunca nenhum de nós já ganhou dinheiro com bandas (hahaha). Mas se um dia a situação melhorar dentro do Hardcore nacional, as bandas terem mais estrutura para tocar e sair por ai fazendo shows tanto em sua cidade quanto fora, já estaria de bom tamanho, recebendo uma ajuda de custo com os gastos que temos, melhor ainda. Mas só de tocar já é o que vale para nós, nunca cobramos. Com relação a mudar de postura só por causa do Mainstream, é impossível. Além do que a banda não se encaixa aos padrões de uma banda da mídia, pois ninguém tem franjinha e a banda não fala de amor (hahaha) e não mudaríamos de postura para ser uma banda grande e famosa jamais. Não vemos mal nenhum em bandas como o Dead Fish (que está inserido nesse meio quer queira ou não) ter uma gravadora, aparecer na televisão e tocar nas rádios, pois é uma banda que veio do underground e que nunca mudou sua postura. É claro que uns aspectos podem ter mudado, mas todo mundo evolui, a banda evoluiu muito, e é assim que tem que ser (but, DON’T FORGET YOUR ROOTS! rs). Sei lá, os caras tão lá mas nunca se adaptaram a nenhum padrão, tipo tocar em tal programa de TV, ou a algum produtor daqueles que faz você usar tal visual. O Nx Zero quando entrou pra esse meio se tornou muito comercial, coisa que não eram quando estavam no cenário independente, ou seja, mudaram de postura, é mais ou menos isso que queremos dizer. (Rafael)

Please follow and like us: