Sítio das Estrelas – Zona da Mata MG

Parada de um caminho a Caminho do Céu.

Um cantinho na roça, quieto e bucólico, encravado em um dos ondulados morros da poética Estrada do Belém,

Na zona da mata das Minas Geraes.

O Sítio das Estrelas é…

… um lugar de silêncio e paz

para hospedar você que procura por um sítio simpático e confortável no campo, de silêncio e paz para o seu repouso na natureza e para seus cuidados com sua saúde física e anímica, distante do burburinho, do stress e da correria da vida do cotidiano.

… um lugar na roça

para hospedar você que procura por estradinhas rurais para suas caminhadas, cachoeiras, convivência com a vida da roça, visita aos sítios e fazendas, as plantações, a revegetação, os pequenos e grandes animais, a vida essencial dentro da naturalidade do cotidiano simples, da alimentação vegetariana, do fogão a lenha, da relação intensa entre céu-homem-terra.

… um Ashram

para abrigar você que procura por um cantinho de silêncio e paz para a realização (e/ou aprendizado) de sua meditação e de seu trabalho espiritual bem como do aprofundamento de seu auto-conhecimento…

… um lugar mais distanciado das luzes urbanas

para abrigar você que procura por um sítio rural onde possa realizar suas observações do céu noturno, escuro e transparente, recheado de estrelas, constelações, aglomerados, galáxias, o chumaço branco de algodão da Via Láctea…

Saiba mais sobre o SÍTIO DAS ESTRELAS

Parada de um caminho a Caminho do Céu – Um cantinho na roça, quieto e bucólico

O Sítio das Estrelas se situa na zona da mata das Minas Geraes, a 65 kms de Juiz de Fora e a 28 kms da divisa com o Estado do Rio, na ponte sobre o Rio Paraíba, em Sapucaia, RJ. Da cidade do Rio de Janeiro até o Sítio, são menos de três horas de viagem de automóvel.

O Sítio das Estrelas é semelhante a um spa espiritual onde você poderá descansar, relaxar e também desintoxicar seu corpo e sua alma… É sim um Ashram, um Mosteiro sob a proteção de Francisco e Clara de Assis, realizando a vida essencial e espiritual dentro da natureza do campo e da roça: árvores frutíferas e floríferas, revegetação; peixes nos lagos; galinhas, galo e patos no amplo cercadinho do galinheiro; vacas pastando na fazendo das vizinhanças; campos de pastagem cobrindo os morros ondulados e verdes; céu azul colorido pelo sol durante o dia e coberto de estrelas e planetas durante a noite! Pássaros e mais pássaros voando pelos céus, sempre cantando fazendo côro com as águas do riachinho que vai cortando o Sítio formando pequenas cachoeiras e lagos.

Suas acomodações são confortáveis e acolhedoras, em duas casas de hóspedes. Seus pomares são generosos na doação de suas frutas e sua horta abastece as refeições sempre naturais e vegetarianas. Sua água de mina é pura e transparente bem como a água do poço alimenta o ofurô medicinal. Para aqueles que gostam de leitura, existe uma simpática Biblioteca sobre astronomia, astrologia, psicologia e psicanálise, teatro, pintura, plantas ornamentais e/ou medicinais e literatura….

É ideal para o Caminhante que busca paz interior, silêncio, introspecção, meditação, contemplação e conhecimento do céu e da terra, convivência com a natureza e harmonia nos relacionamentos. Para o Caminhante estressado do burburinho das cidades grandes e barulhentas ansiando por um cantinho calmo e sossegado onde possa relaxar seu corpo e sua mente e sua alma e cuidar melhor de sua saúde, nada melhor que uma estadia simpática no Sítio.
Também é ideal para O Caminhante que pratica a astronomia amadora desejoso de um lugar confortável,

com céu transparente e coalhado de estrelas….

Venha ao Sítio das Estrelas, curtir sua paz e sua natureza e toda a boa espiritualidade desse lugar!

Vivenciar o Sítio das Estrelas é vivenciar o silêncio, a paz…

Cotidiano do Sítio

A vida no Sítio é sempre muito simples e tranqüila. Acorda-se com o galo e dorme-se cedo.

Durante o dia, muitas coisas acontecem, realmente. Após a refeição matinal, passeamos pela estradinha de bambú, a Estrada do Belém, que vai levando a tantos outros pequenos sítios da roça de Mar de Hespanha. Também existem outras estradinhas rurais próximas muito interessantes de serem visitadas, especialmente uma com uma ponte de ferro, bem antiga mesmo, maravilhosa, um belo lugar de meditação, com o barulhinho das águas do rio caudaloso que passa por debaixo.

Existe o Horto Florestal que é um belíssimo exemplo de reflorestamento urbano e algumas cachoeiras muito caudalosas – belos passeios. Para quem gosta de uma boa cachaça mineira, uma ida ao alambique Calambau é uma excelente pedida.

Para quem gosta de ler, existe uma boa biblioteca recheada de revistas estrangeiras sobre astronomia, por exemplo, livros vários de astrologia, psicologia, arte da pintura, teatro, plantas, plantas, plantas, plantas…. e um tanto de boa literatura.

Você pode trabalhar a terra, se quiser, bem como dar uma boa mão ao trabalho do caseiro, se tiver bastante fôlego!

No almoço, sempre preparamos arroz integral, algum tipo de feijão, legumes, verduras e frutas. Para o jantar, normalmente fazemos uma sopa no fogão a lenha enquanto meditamos, acompanhada de pão feito de tarde, queijo do vizinho, geleia das frutas do sítio, chá com folhas de capim-limão recém-colhido para trazer um soninho bem gostoso…

A alimentação no Sítio das Estrelas é sempre natural e vegetariana. É importante que o Caminhante saiba que no Sítio das Estrelas não se tomam nem bebidas alcoólicas nem refrigerantes.

A vida no Sítio é sempre muito simples e tranqüila. Acorda-se com o galo e dorme-se cedo.

Após o jantar, quando o céu está bem estrelado, ficamos sobre o deck em frente ao lago nos deixando invadir pelas luzes piscantes de nossos outros sóis da Via Láctea e das outras galáxias bem como cumprimentamos nossos irmãos, os planetas.

Outras vezes, acordamos bem cedinho, junto com o cantar do galo, com o céu ainda escuro, para observar Mercúrio, por exemplo, ou uma Lua tardia, ou algum outro evento significativo, quem sabe uma chuva de meteoros…

Bagagem

A bagagem de roupas deve ser simples e confortável: telefone celular, shorts, bermudas, camisetas, maiô, canga, vestidinho, calça comprida, casaco leve, casaco quente, gorro, meias, conjunto de moletom, roupinha leve e simples, sandália havaiana, tênis para andar pelas estradas da roça, botas de borracha para andar melhor no mato (opcional) e chapéu de sol. Não se esqueça que estamos na roça!

Bagagem Opcional: telefone celular para seu uso pessoal, binóculos para ver pássaros e estrelas; máquina fotográfica para registrar imagens belas e campestres, gravador a pilha e suas fitas para as palestras, uma lanterna para passear à noite, caneta e caderno para anotar as impressões e o aprendizado, lápis, pincéis e telas para registrar a beleza do bucolismo do campo, das montanhas onduladas, do vale verde…

Acomodações

No Sítio, existe a casinha chamada de Ashram (assim nomeada pelos monges que aqui volta e meia pernoitam) – a estrela Arcturus. Arcturus é a estrela que traz a idéia do descanso do guerreiro… Esta casa fica em frente ao grande lago, perto do deck para observar pássaros e estrelas. A vista do vale verde e sem qualquer construção ou casas, é realmente muito bela e inspiradora.

A Caseirinha (antiga casa de caseiro totalmente reformada e ampliada) também acolhe os Caminhantes. É a estrela Spica. A estrela Spica nos traz a idéia de trabalho na preservação da vida como um todo, principalmente nas alimentações física e espiritual. Na Caseirinha, o salão social acomoda a biblioteca bem como a televisão e também um fogão a lenha que sempre é aceso para trazer um maior sentimento de roça, de acolhimento.

A Caseirinha é uma casa que dá para o pomar e o gramado bem como para o vale verde… No pomar, existe um paiol feito de madeira, um lugar muito interessante aonde são guardadas as rações dos animais do sítio e as ferramentas.

Existe a Casa original do Sítio, de cerca de cem anos (antiga casinha de colonos) e reformada, a casa de Janine com seu escritório, a cozinha comunitária com a varanda de refeições e o salão de meditação e yoga adjuntado da pequena saleta social com a biblioteca…. É a estrela Sírius. A estrela Sírius é o grande útero da nossa Galáxia, a Via Láctea.

Próximo a esta casa, existe uma imensa e generosa árvore, a eugênia, aonde normalmente fazemos nossa refeição de almoço. Também próximos ficam o galpão, o caramanchão da glicínia e do maracujá, a ‘tuia’…

Assim, quando acontecem os Retiros ou Encontros, o bom número de Caminhantes é de cinco a seis pessoas, no máximo… podendo o gramado receber mais duas ou três barracas. No entanto, de uma forma geral, os Caminhantes que aqui vêm encontram quase ninguém, podendo até bem escolher o lugar aonde querem ficar e usufruir da tranqüilidade e do silêncio do Sítio.

A garagem é bastante grande para acomodar cerca de quatro carros. No Sítio já existe sinal para telefone celular, o que facilita bastante a vida do Caminhante.

A Estrada do Belém liga o Sítio à cidade em um trajeto sob moitas de bambu em cerca de dois quilômetros de estrada de terra. Assim, a ida e vinda acaba sendo prazerosa em caminhadas saudáveis.

O lugar das refeições pode sempre variar. Normalmente, o café da manhã e o jantar acontece na varanda de refeições junto à cozinha, na casa antiga.. O almoço quase sempre acontece debaixo de uma árvore frondosa, a Eugênia, que nos dá uma enorme sombra e fica em meio ao gramado do jardim bem próximo à minha casa. O almoço também pode acontecer ao lado da piscininha, no caramanchão do lago ou pode ser até um picnic em algum outro lugar simpático do Sítio!

A horta costuma funcionar verão e inverno, mudando apenas o que plantamos e colhemos…. No verão temos quiabo, pimentão, jiló, tomatinho e sempre couve…. No inverno, cenouras, beterrabas, alface, agrião, espinafre, e mais tantas outras coisas que nem me lembro! Sempre tem fruta, alguma fruta da época acontecendo… quando não tem nada, pelo menos uma banana tem…. No verão, vêm as mangas, as eugênias, as romãs, os limões, os pêssegos, os figos, as primeiras uvas, os maracujás….. No inverno, vêm as tangerinas, as limas, os limões, as laranjas, as pitangas, as jabuticabas, os cajás-manga, as ameixas amarelas

A água do Sítio vem de uma mina com água maravilhosa, fresquinha e limpinha. Com essa mesma água cozinhamos, lavamos tudo e nos banhamos! A água da piscininha vem do poço semi-artesiano, já é uma água um pouco diferente, com gostinho de barro, porém limpinha e fresquinha e boa, certamente. O bom é que nada leva cloro nem toda a parafernália química das águas urbanas.

Gramado, Caramanchões, Lagos, Ofurô, Garagem

O gramado é vasto, sempre bem aparado, todo ajardinado e plantado de árvores frutíferas e floríferas, rodeando todas as construções do Sítio. Todo a terra vem sendo reflorestada com as mudinhas filhotas das árvores daqui mesmo, regadas e mimadas até seu plantio, na época das águas. São feitos vários caminhos entre o reflorestamento, seja na várzea ou seja no pasto, para nossos passeios dentro do Sítio.

No Sítio das Estrelas, existem vários caramanchões perfeitos para momentos de meditação interiorizada, contemplação, busca de visão…. O caramanchão no meio do pasto é um bom lugar de contemplação e nos apresenta uma belíssima vista do vale verde e seu silêncio cortado pelo piar dos pássaros. O caramanchão ao lado do bosque é um doce lugar de silêncio e introspecção, para meditação e recolhimento. O caramanchão atrás do galinheiro nos deixa entrever um tanto da vida de alguns dos animais do Sítio: o galo e as galinhas, o pato e a pata.

É bom conversar sobre a Espiritualidade nesses lugares que nos preenchem o coração.

Um pequeno córrego corta o Sítio e é bem aproveitado em formar pequenos e grandes lagos. Também alguns canos d’água saem do córrego e servem para aguar os canteiros e os vasos de plantas, excelente ato de tranqüilização do espírito. O barulhinho da água é sempre reconfortante e nos acompanha todo o tempo.

Existe uma ponte sobre o grande lago e que finaliza num belo e resguardado caramanchão de meditação coberto com maracujá do mato, alamanda amarela e bougainville vermelho… também um pé de Ipê amarelo ali vive juntamente com um pé de Tamarindo que cresce vagarosamente…..

O Ipê amarelo é a árvore do Brasil e seu floral serve fundamentalmente para ressurreição, transmutação, transfiguração, renascimento… O Tamarindo é a árvore preferida dos yogis em sua meditação…

Um pouco mais adiante, existe o Moinho de Meditação (antigo moinho de luz), um lugarzinho escondido, porém com uma belíssima visão do vale verde e ao lado da mina d'água e do poço semi-artesiano de águas ferruginosas que enchem o ofurô… Muitas vezes, colocamos ervas medicinais ou flores no ofurô para nos banharmos e realizarmos nossa purificação.

A garagem é bastante grande, com espaço para acolher quatro automóveis.

Embora o Sítio das Estrelas esteja situado nas Minas Geraes, sua guardiã, Janine Milward de Azevedo, não é mineira e sim friburguense, nascida nas belas montanhas do Estado do Rio no inverno de 1950, tendo vivido por longos anos no Rio de Janeiro e depois, um tantinho de tempo em Petrópolis até que saiu em busca de um lugar mais distanciado das cidades grandes, para melhor conviver com sua grande paixão, as estrelas.

Em 1998, Janine construiu suas raízes num pequeno pedaço de terra que ganhou o nome de Sitio das Estrelas – parada de um caminho a Caminho do Céu…. situado em um dos tantos e tantos morros ondulados da provinciana cidade de Mar de Hespanha, nas Minas Geraes, ainda bem pertinho do Estado do Rio.

Desde que chegou ao Sítio das Estrelas, Janine vem arrumando este pedaço de terra para compartilhá-lo, juntamente com seu trabalho, com o Caminhante do Caminho do Céu e da Terra. Sendo assim, o Sítio ganhou o longo adjetivo de "parada de um caminho a Caminho do Céu"…

Sobre a Contribuição de Estadia, Reservas e Confirmações

Esta é uma questão a ser conversada diretamente com Janine, seja através do e-mail ou seja através do telefone celular.

Reservas e Confirmações são aceitas somente através de Telefone.

janine@sitiodasestrelas.com.br ou janine@powermail.com.br

(32) 9963-0439

Se você quiser falar com Janine com rapidez, use o telefone, sim? Ou envie um breve e-mail para 3299630439@itelemigcelular.com.br.

Atenção: no Sítio não tem telefone fixo. Desta maneira, a internet e a caixa de e-mails ficam no provedor, na cidade, sendo visitadas a cada três ou quatro dias.

Namaskar!

Eu saúdo você com minha mente e meu coração!

Janine Milward de Azevedo

Sítio das Estrelas

Parada de um caminho a Caminho do Céu

Um cantinho na roça, quieto e bucólico

Please follow and like us: