Sevananda – precursor do vegetarianismo

* Izolda Mendes de Faria *

Yoga transformou-se em mais um modismo. Artistas, de várias e diversificadas áreas, declaram-se praticantes de yoga e falam sobre efeitos maravilhosos obtidos mediante essa prática.

Televisão, revistas, jornais, divulgam e alardeiam os resultados e benefícios inacreditáveis da prática do yoga. Assim, o eterno desejo pelo milagre leva milhares de pessoas a buscar a prática do yoga, transformando-o em moda.

Do ponto de vista histórico, esta moda já está bem velha. O Yoga está presente no Brasil há mais de sessenta anos.

O Yoga foi introduzido no Brasil na década de quarenta, do século passado, por um francês chamado Leo de Masqueville, conhecido como Swami Sevananda, que, vindo da Argentina e Uruguai, onde já havia divulgado a filosofia e prática do Yoga, estabeleceu-se em Lages, Santa Catarina. Posteriormente, fundou um ashram (mosteiro) em Rezende, no Rio de Janeiro e, a partir do Rio de Janeiro, então capital federal, o Yoga foi sendo divulgado para o resto do país por professores como Carlos Trotta, Caio Miranda, Hermóge-nes e, na seqüência, foram surgindo outros.

Caio Miranda escreveu o primeiro livro brasileiro sobre Yoga ainda na década de cinqüenta, visto que possuo um exemplar de "A Libertação Pelo Yoga", já na segunda edição, datada de 1960. Ouvi dizer que seu primeiro livro foi publicado em 1951, mas não consegui comprovar.

De qualquer forma, na década de cinqüenta, quando eu era menina pequena, revistas como O Cruzeiro, Manchete e Fatos e Fotos, já publicavam reportagens sobre Yoga.

Como o brasileiro tem memória curta e lê muito pouco, o Yoga parece uma grande novidade ao ser divulgado, principalmente na televisão, por atores e atrizes de novelas que se dizem praticantes. Brasileiro pode ler pouco, mas é apaixonado por novelas, desde o tempo em que só existia o rádio.

As obras de Caio Miranda contém uma fundamentação teórica e exercícios práticos baseados nos asanas (posições corporais) e pranayamas (exercícios com a respiração) descritos pelo Hatha Yoga. Ora, o Hatha Yoga é apenas um entre centenas de ramos do Yoga. Durante muito tempo os livros sobre Yoga, publicados no Brasil, seguiram nesta linha, objetivando que o leitor tivesse condição de realizar uma prática básica de posições corporais e exercícios respiratórios, mas esquecendo a riqueza e a pluralidade de outros ramos do Yoga, esquecendo, também, as possibilidades diferentes de prática, algumas delas sem qualquer preocupação com posições corporais.

Para conhecer o que realmente é o Yoga é necessário que se faça uma leitura de livros básicos que falam sobre a diversidade dos "yogas", até mesmo para podermos escolher o ramo com o qual temos mais afinidade. Entre as obras publicadas no Brasil destacamos, de Mircea Eliade, "Yoga Imortalidade e Liberdade", editora Palas Athena; de Georg Feuerstein, "Manual de Yoga", editora Cultrix e "A Tradição do Yoga", do mesmo autor, editora Pensamento. Boa leitura! Seja bem vindo ao Yoga!

Bibliografia:
MIRANDA, CAIO, "A Libertação pelo Yoga", 1960, Gráfica Editora NAP S.A.; "A B C do Hatha Yoga", [?], Edições de Ouro.
Polígrafos do Curso de Formação de Professores da Confederação Brasileira de Yoga, 2000
.

* profª de Filosofia e de Yoga Integral, Pós graduada em Educação Física e Promoção da Saúde – Pelotas/RS.
Contato: (53) 3222-518

Ed. 52 – Fevereiro/2006 – Lua Galáctica do Falcão do Ano Semente Cósmica Amarela

Fonte: http://www.jornal3milenio.com.br/52/_yoga52a.htm 

Please follow and like us: