RELATO SOBRE VEGETARIANISMO

Na minha infância e adolescência comi carnes de vários tipos. Não me questionava sobre isso e achava que era “normal” comer carne. Entretanto sempre gostei de animais e na minha família tínhamos bichinhos de estimação.
 
Quando comecei a estudar a espiritualidade, há uns cinco anos atrás, comecei a ler sobre energia, vibração, fluídos, e li sobre o efeito energético e espiritual da ingestão de carne no organismo. Aí começaram algumas reflexões e questionamentos…

Há três anos atrás, parei de ingerir carne de gado e porco, mas ainda consumia peixe, frango e derivados.

Quando havia quase um ano que eu estava sem comer essas carnes, engravidei, e embora as indicações nutricionais fossem para comer carne, inclusive bife de fígado, não segui o indicado e investi na alimentação rica em frutas e vegetais. Comi durante a gravidez muito caqui e espinafre. E nessa época nem frango eu não conseguia mais comer, mas continuei com o peixe. Durante o pré-natal, todos os meus exames de sangue foram ótimos, indicando a necessidade de reposição de ferro apenas nos últimos trinta dias de gravidez.

Meu filho nasceu saudável, com 3,550kg e 50cm. E a partir de seu nascimento, em julho de 2008 tomei a decisão de não comer mais nem peixe, nem os derivados como presunto, salsicha e patê.

Me tornei vegetariana e tomei a decisão, juntamente com meu marido, de criar nosso filho nesse contexto, nessa consciência. (Meu marido ainda ingere frango e peixe, mas tem como meta se tornar vegetariano também. Ele deixou de comer carne de gado e porco e os derivados, quando nosso filho nasceu.)

Mas diante dessa nossa decisão, acreditávamos que era possível criar nosso filho nessa consciência, mas não tínhamos subsídios teóricos para isso. Principalmente, porque na família iriam nos questionar e não bastaria a explicação fundamentada na espiritualidade.

Então fui atrás de uma nutricionista vegetariana e encontrei, não por acaso, porque com certeza acredito que Deus me fez conhecê-la para ampliar o meu olhar, a nutricionista Cláudia Lulkin. Ela me forneceu material teórico suficiente para apresentar para a família e nos fortalecer na decisão, assim como, orientação sobre a alimentação. Mas não foi só isso, com ela conheci outro universo, outra consciência e um profundo respeito pelos animais.

A partir daí, venho querendo cada vez mais saber sobre as verdades que a indústria e o comércio nos escondem…

Hoje reflito sobre a ignorância em que me encontrava, quando tinha alguns animais em minha casa como queridos, enquanto matava e comia outros sem reflexão alguma. Mas como entendo que a humanidade ainda caminha lentamente na trajetória da evolução, a ignorância faz parte desse contexto… 

E hoje vejo que ainda tenho muito a buscar, questionar, aprender e me transformar, rumo ao autoconhecimento e busca de ser hoje um ser humano melhor do que fui ontem.

Meu filho está com 1 ano e 5 meses, e se desenvolvendo muito bem. Acredito nessa elevação de consciência da humanidade e incentivo a todos os pais a procurarem saber mais da alimentação que ingerem e como ela chega até a sua mesa.

A reflexão faz parte da responsabilidade que assumimos como criadores, educadores e exemplos que somos diante de nossos filhos, pois se queremos que eles sejam seres mais humanos, críticos e reflexivos, devemos iniciar por nós mesmos!

Please follow and like us: