Quilombola

Porquê você é um ser pensante e inteligente, lhe propomos a alimentação libertária (para queijo de soja: 1kg de grão de soja, deixe a soja de molho da noite pro dia). Diariamente, milhões de toneladas de alimentos são dados ao gado como ração. Esses alimentos, se destinados aos seres humanos, simplesmente solucionariam o "problema" da fome no mundo. O que os governantes não ousam revelar é que para produzir uma tonelada de carne o gado ingere mais de quatro toneladas de grãos. E que o espaço necessário para a criação de um boi, se destinado à produção agrícola, produziria quatro vezes mais alimentos do que o boi pode dar em carne (no outro dia, retire com cuidado o máximo possível de cascas da soja). Mas o que esperar de loucos, que diariamente desperdiçam milhões na indústria armamentista? A alimentação carnívora é baseada no desperdício. Os governantes não ousam revelar que as florestas tropicais, incluindo a amazônica, estão sendo destruídas, incendiadas PROPOSITADAMENTE para que o gado tenha espaço para pastar. Onde você imagina que multinacionais como o McLixo, a Parmalat, a Bob's, a Nestlé e empresas similares criam o gado necessário para a produção de hamburgueres, queijos, iogurtes, chocolates e todo o detrito restante que elas vendem às pessoas? Não precisa ser muito esperto para acertar, enquanto multidões morrem de fome, os governantes se divertem desperdiçando (após tirar as cascas, bata a soja no liquidificador. Para cada quantidade de soja, coloque duas de água. Coe o líquido com um pano, reserve o bagaço e ponha o leite em uma panela para ferver). Outro ponto a se falar é a forma que são tratados os animais destinados ao abate. As vacas às vezes são colocadas por anos em lugares onde não podem ao menos se por de pé, para que sua carne fique mais macia, os bezerros quando nascem são imediatamente separados da mãe e existem mesmo restaurantes que anunciam orgulhosamente pratos preparados com a carne de animais recém nascidos. Os animais quando sentem que vão ser assassinadosl iberam na carne uma espécie de ácido que se ingerido pelo ser humano é extremamente cancerígeno. A indústria da carne é a indústria do câncer! As galinhas passam todo o tempo da vida confinadas em espaços minúsculos, têm seu bicos serrados para que não se furem na violência constante gerada pelo confinamento. Além disso, são mantidas em ambientes eternamente iluminados para que não durmam e assim ponham mais ovos (quando o leite ferver, desligue o fogo e junte um copo de sumo de limão para coalhar. Aguarde uma hora). Os porcos são mantidos numa imundice tipicamente humana, seus focinhos são furados para que não fuce a lama. Quando vão ser assassinados muitas vezes são mergulhados ainda vivos em caldeirões de água fervente. Qual a justificativa para tanta crueldade? Para falar em termos de saúda, a alimentação vegetariana é infinitamente superior à alimentação carnívora, pois além de não ser baseada no consumo de cadáveres, possui todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo humano, livre de doenças, saudável. Mas e aí, quem vai sustentar a indústria farmacêutica? Quem vai sustentar os latifundiários parasitas que não produzem nada? Daí pode-se perceber o quanto o boicote à indústria da carne é uma prática revolucionária e transformadora, pois os próprios grandes produtores de alimentos agrícolas trabalham apenas com a monocultura, isto é, produzem em larguíssima escala apenas um tipo de alimento que é destinado à exportação. O consumo de alimentação vegetariana, não visto como pregação religiosa, mas como uma proposta lógica e subversiva, beneficia apenas o pequeno produtor, aquele que tem seu terreninho do qual retira a sua sobrevivência. Aliás nada lhe impede de buscar produzir seus próprios alimentos. Quanto mais estivermos independentes do sistema, mais provaremos sua inutilidade. Primeiro boicotando a indústria da carne, que é um dos alicerces da sociedade capitalista. Segundo, mantendo nossos corpos saudáveis para a luta diária, descartando a indústria da doença com seus malditos remédios e hospitais que custam ao povo pobre milhares de reais por mês. Terceiro, e talvez mais importante, respeitando a vida de todos os seres vivos que, ao contrário do que muitos pensam, não está à nossa disposição. Pra terminar: passe o leite já coalhado em um pano, esprema bem, a parte sólida é o queijo da soja, também conhecido como tofu, alimento riquíssimo em proteína. Tempere à gosto e sirva em saladas, macarronadas, sanduíches ou mesmo puro só com o tempero. O bagaço que restou, é ótimo para a feitura de pães, bolos e etc. Bom apetite revolucionário, saúde e anarquia.

Fonte: ASSOCIAÇÃO CULTURAL QUILOMBO CECÍLIA

Quilombola – http://br.geocities.com/salvador_libertaria/quilombola1.html 

Please follow and like us: