Luiza Mell

Alexandre Schneider

Fora do ar desde que foi demitida da Rede TV!, no começo do mês passado, Luisa Mell, nome artístico de Marina Zatz de Camargo, recebeu a repórter Thaís Kuzman em sua casa, em Alphaville, bairro nobre de Barueri, na Grande São Paulo, para responder às perguntas dos leitores enviadas ao site de QUEM. Na entrevista, ela disse que está estudando propostas antes de retornar à TV, e falou do romance com o ator Henri Castelli:
“O que me encanta é que ele é um ótimo pai. Um bom coração”.

1. Você se dedica com tanto empenho ao mundo animal quanto em seu extinto programa?
Marco Aurélio Gusmão, Valinhos (SP)
O programa mudou a minha vida. Encontrei ali uma razão para viver, para lutar. Já não comia carne há muito tempo, mas hoje sou completamente vegetariana. Foi lá que me tornei a Luisa Mell, porque eu sou Marina, mas a Luisa veio com essa missão.

2. O que de fato aconteceu entre você e o Clodovil (o então apresentador da Rede TV! criticou o trabalho de Luisa e afirmou que ela acabaria como atriz pornô)?
Aurineide Rodrigues de Sousa, São Paulo (SP)
Nem lembro mais do Clodovil. Na verdade, não sei qual é a dele. Nem ele. Depois foi à minha peça, Cinderela, e pediu desculpas. Eu falei que já estava desculpado. Não demorou muito, falou para um jornal que não tinha pedido desculpas coisa nenhuma. Tem gente que usa esse tipo de coisa para estar na mídia e fica meio viciada em chamar a atenção. Mas eu não quero o mal de ninguém, muito menos do Clodovil.

3. Os integrantes do Pânico na TV já foram desrespeitosos com você?
Nina Monroe, por e-mail
Os meninos faziam piadas, colocavam uma imagem minha chorando no programa, mas fora da TV sempre foram legais comigo. Outro dia eu encontrei o Vesgo e o Ceará, e eles me disseram: “Seu trabalho era incrível, você tem que saber disso”. Quanto ao programa, é o trabalho deles, é humor.

4. É verdade que sua saída foi provocada por ciúme (teria sido impulsionada, segundo noticiário, por Daniela Albuquerque, mulher de Amilcare Dalevo, dono da Rede TV!
e antigo namorado de Luisa)?

Fernanda Maria Barbosa Sampaio, Rio de Janeiro (RJ)
Eu não sei. Ouvi como todo mundo, li como todo mundo, mas na verdade não me interessa mais. Inveja é muito pior para quem sente. Num primeiro momento, você até pode conseguir fazer o mal, mas quem sente, quem fica nesse sentimento terrível é que se destrói.

5. Você se envolveu em um acidente, perdeu o emprego. 2008 é o pior ano da sua vida?
Karina Horácio, São Paulo (SP)
Essa pergunta é difícil. Não posso negar (pausa para uma longa respirada) que eu realmente perdi o chão, foram coisas muito pesadas. O acidente mexeu muito comigo, eu fiquei sensibilizada, passei muito tempo em uma UTI, vendo outras pessoas doentes. Quando estava conseguindo me recuperar, veio outra paulada. Mas 2008 não acabou, a gente passou um pouco mais da metade e espero ainda virar esse jogo. O programa acabou, mas eu não acabei.

6. Como o acidente influenciou sua vida?
Rosa Maria Penna, Jundiaí (SP)
O acidente foi mais difícil que perder o programa, que era a coisa mais importante da minha carreira. De repente, eu, que não mato uma formiga, estava ali, com aquela menina toda machucada. Você luta, reza, vê uma pessoa entre a vida e a morte, e repensa toda a sua vida. Sobre a garota, eu falo muito com a mãe dela, a gente se apegou. Ela me liga para conversar sobre nada às vezes, mas percebi que isso era importante. Parece que a gente precisa uma da outra para continuar forte.

7. Quais são seus planos para o futuro?
Vanessa do Sacramento Albino, São Paulo (SP)
Estou em um momento de ter calma para fazer uma coisa sólida, que acrescente para mim e para o público. Não preciso arrumar nada amanhã, mas estou fazendo reuniões para conhecer as oportunidades. Estou me escutando, quero saber qual é o melhor caminho. Não descarto fazer algo nos moldes do Late Show, mas talvez venha um programa com uma nova cara.

8. Como você e o Henri Castelli começaram a namorar?
Ana Carolina Souza, Uberaba (MG)
Essa história quem tem que contar é o Henri. Foi ele que me conquistou, e isso é a única coisa que eu posso dizer (risos). As coisas são muito novas, a gente continua se conhecendo. Quando você é “público”, tudo toma uma proporção muito maior. Só estamos juntos há dois meses. Levo minha vida a sério, não sou do oba-oba. Não é que a gente estivesse escondendo, mas não o tinha apresentado nem a meu pai. Aí você tem que chegar para o Brasil todo e falar: “Este é o meu novo namorado” (risos).

9. Como é namorar um cara superassediado?
Luana Schauff, por e-mail
Não me incomodo. As pessoas pedem para tirar foto com ele, comigo. Faz parte, né? Eu não tenho ciúme disso, ou o relacionamento seria uma bobagem. As coisas devem ser mais profundas. O Henri é lindo, eu também acho, mas não é por isso que estou com ele. O que me encanta é que ele é um ótimo pai, tem bom coração.

10. Você já recebeu convites para posar nua?
José Carlos da Rocha, Natal (RN)
Recebi propostas desde o começo da minha carreira. Acho que eles querem tirar a roupa de qualquer mulher um pouco mais bonita que apareça na TV (risos). Não aceitei e não vou aceitar, não é o que eu quero para mim. Claro que o dinheiro é bom, mas é um preço muito alto. Até porque há mulheres com um corpo mais bonito do que o meu que querem posar nuas. Acho que o melhor de mim não é isso, não sou a Garota Academia, a Mulher Melancia. Nenhuma fruta. Deixa para elas, para a feira (risos).

Fonte: Revista Quem

Please follow and like us: