Entrevista revista Women´s Health

Entrevista para jornalista Ivonete Lucirio, da Revista Women´s Health

1) Qual a melhor maneira de se tornar vegetariana, de uma vez, ou com uma conversão pouco a pouco?

Muitos deixam de comer carne da noite para o dia, outros precisam ir largando aos poucos, se adaptando e substituindo a carne por alimentos vegetarianos. Não existe fórmula de bolo. Cada pessoa é única e encontrará o processo que for melhor para ela. E nossos processos precisam ser respeitados. Mas em geral, é bom ir aos poucos, encontrando alternativas, se informando, se ligando a redes de auxílio, como listas de discussão na Internet, lendo livros (há muitos), assistindo palestras e vídeos etc.


2) Existem pessoas que não devem se tornar vegetarianas?

Não existe restrição a nenhum tipo de pessoa. Todos podem se tornar vegetarianos. A dieta vegetariana, quando bem planejada, é segura para todas as fases da vida: infância, idade adulta, senilidade, gestação e amamentação. Se o planejamento nutricional é adequado, como deve ser para qualquer tipo de dieta, não há nenhuma limitação à prática de qualquer atividade física.


3) Gostaria de saber quais os tipos de vegetarianismo (ovo lacto, etc.) e o que são cada um deles.

Há vários tipos de vegetarianismo, entre os quais:

Vegetarianismo – é o regime alimentar segundo o qual nada que implique em sacrifício de vidas animais deva servir à alimentação. Assim, os vegetarianos não comem carne e seus derivados, mas podem incluir em seu regime, leite, lacticínios e ovos. O regime vegetariano não é, pois, exclusivamente vegetal e seu nome não se origina de alimentação vegetal e, sim, do latim vegetus que significa "forte", "vigoroso", "saudável".

Veganismo – é o vegetarianismo estrito, excluindo além de todas as carnes, qualquer alimento derivado de animal, como ovos, laticínios ((leite, manteiga, queijo, iogurte etc.), mel, gelatina etc. Os veganos evitam o uso de couro, lã, seda e de outros produtos menos óbvios de origem animal, como óleos e secreções presentes em sabonetes, xampus, cosméticos, detergentes, perfumes, filmes etc.

Lacto-vegetarianismo – é o vegetarianismo que inclui leite e seus derivados.

Ovo-lacto-vegetarianismo – é o vegetarianismo que inclui além do leite e seus derivados também os ovos.

Crudivorismo – O crudivorismo tem como base os vegetais crus, não utilizando fogo e nem sal ou temperos para o preparo dos alimentos. 

Frugivorismo – O frugivorismo é uma alimentação à base de frutas cruas ou cozidas.

 Li sobre outros três tipos de vegetarianismo. Será que poderia me ajudar a defini-los melhor, por favor? São o flexitários (não sei se o nome está correto. Pelo que entendi, são vegetarianos mas, de vez em quando, comem carne); os pesca-vegetarianos (incluem peixe) e os frutaritários (também não tenho certeza do nome. comem frutas e grãos).

Flexitarianos – Flexitariano é um vegetariano que ocasionalmente come carne. Trata-se de um acrônimo que funde os conceitos “vegetariano” e “flexível”. Os flexitarianos comem sobretudo alimentos de origem vegetal, mas podem incluir eventualmente de peixe ou outra carne, e até, vez ou outra, carne de boi. Os flexitarianos são em geral motivados para o vegetarianismo por razões de saúde, ecológicas ou econômicas. Em casa preparam apenas pratos vegetarianos, mas fora de casa não pedem um prato vegetariano especial e consomem algum tipo de carne.

Pesco-vegetarianos – Seriam vegetarianos que se alimentam às vezes de carne de peixe. Trata-se de uma contradição de termos, pois um vegetariano pela própria conceituação não ingere nenhum tipo de carne, excluindo tudo o que implica na morte de um animal de sua alimentação.

Frutaitários – nunca ouvi falar desse termo, mas deve ser frutívoro ou frugívoro – aquels que se alimentam tão-somente de frutas. Lembrando que na categoria de frutas entram vários grãos, cereais e hortaliças, como tomate, abobrinha etc.

 

Please follow and like us: