Dietas Veganas e desenvolvimento infantil: onde está a verdade?

PRESS RELEASE

De Vegan Society

22 de fevereiro de 2005

DIETAS VEGANAS E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: ONDE ESTÁ A VERDADE?

A alegação de que o leite e a carne são vitais para o desenvolvimento das crianças, que varreu a mídia no início da semana, originou-se num release para a imprensa americana baseado principalmente num estudo de 2 anos de duração com 555 crianças quenianas desnutridas, concluído em dezembro de 2000 e publicado pelo Journal of Nutrition em novembro de 2003.(1)

Como sempre, as informações originais foram alteradas a ponto de se tornarem irreconhecíveis ao passarem do documento científico para o release: "Sem dúvida não é ético pais criarem filhos como veganos estritos", proclamam certas partes do release.(2)

O documento científico comparou grupos de crianças quenianas que recebiam três suplementos alimentares: carne, leite e óleo vegetal. Foram aferidas três medidas de desenvolvimento mental: teste visio-espacial Raven, compreensão verbal e aritmética. Em todas as três medidas, o grupo do óleo vegetal superou o grupo do leite e, em duas delas, o grupo do óleo vegetal superou o grupo da carne.

"Até mesmo no documento citado, a afirmação atribuída à professora Allen é claramente exagerada" afirmou Stephen Walsh, autor de Plant Based Nutrition and Health.

Mas há provas muito mais contundentes de que as dietas veganas são adequadas ao desenvolvimento saudável de crianças. Um estudo do Reino Unido, com 39 crianças veganas, descobriu que "o crescimento e desenvolvimento de crianças criadas tanto com dietas veganas quanto vegetarianas são considerados normais".(3)

Nos EUA, um estudo com 400 crianças veganas chegou à mesma conclusão.(4)

Ambos os estudos foram realizados na década de 1980 e os resultados deveriam ser bem conhecidos de qualquer cientista que pretenda comentar dietas veganas e desenvolvimento de crianças.

O release que circulou pela imprensa esta semana aproveitou os resultados de um exame das crianças quenianas desnutridas, no qual se constatou que a carne teve impacto maior do que o óleo vegetal, e ignorou todos os indícios contrários, tanto do estudo queniano quanto de estudos diretos de veganos ocidentais.

"Isso não é ciência, é manipulação descarada de informações", disse Alex Bourke, presidente da Vegan Society, "e os representantes da mídia que divulgaram o release sem visão crítica foram, infelizmente, enganados."

Para obter mais informações sobre os benefícios de uma dieta vegana para os animais, os seres humanos e o meio ambiente, seja na África ou no Ocidente, consulte Plant Based Nutrition and Health ou entre em contato com um porta-voz da Vegan Society (detalhes a seguir).

NOTAS:

(1) http://www.nutrition.org/cgi/reprint/133/11/3965S.pdf

(2) http://news.bbc.co.uk/1/hi/health/4282257.stm

    http://www.aaas.org/news/releases/2005/0218micronutrients.shtml

(3) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=abstract&list_uids=3414589 

(4) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=Abstract&list_uids=2771551

 

CONTATOS:

Alex Bourke, Vegan Society Chair, 07956 169214

Sandra Hood BSc (Hons), State Registered Dietitian Author of Raising your Vegan Infant – With Confidence, 07977 219306

Stephen Walsh PhD, Vegan Society Nutrition Spokesperson Author of Plant Based Nutrition and Health, 07967 361510

PUBLICAÇÕES:

Plant Based Nutrition and Health, publicado em setembro de 2003. Para obter um exemplar, ligue para 020 7928 7459 ou envie email para <clarkev@parliament.uk>

Peça também informações sobre Raising your Vegan Infant – With Confidence, a ser publicado ainda este ano.

 

Tradução: Marly Winckler e Beatriz Medina

Texto original: http://www.vegansociety.com/html/

Please follow and like us: