Artigos de jornais e revistas

Consumidor britânico troca a carne pela salada

André Mesquita – Folha de São Paulo – AgroFolha – 03/04/01

Apavorados pelas doenças do gado (mal da vaca louca e mais recentemente a febre aftosa), os consumidores europeus começam a mudar os seus hábitos alimentares.

De acordo com a Vegetarian Society, uma das mais tradicionais entidades do Reino Unido, em uma pesquisa realizada na Inglaterra com cerca de 500 entrevistados, em março último, 10% responderam ter adotado o vegetarianismo por causa do surgimento da aftosa.

A entidade estima que, nas últimas cinco semanas, 1,5 milhão de pessoas adotaram uma alimentação vegetariana ou até mesmo vegan (pronuncia-se "vigan" e refere-se à dieta na qual não é consumido nenhum produto de origem animal, incluindo ovos, leite e derivados).

"Apesar do número, muitos ainda não são estritamente vegetarianos, podendo, por exemplo, comer peixe uma vez por semana", explicou à Folha, por e-mail, Tina Fox, uma das coordenadoras da Vegetarian Society.

Ela diz que pelo menos 13% da população inglesa diz ser vegetariana. No entanto, apenas 6% das pessoas têm uma alimentação estritamente vegetariana ou vegan.

As imagens na TV mostrando carcaças de animais queimados e pilhas de ovelhas mortas estão amedrontando crianças e adultos, fazendo com que muitos procurem os serviços das entidades vegetarianas em busca de informações sobre uma possível mudança de seus hábitos alimentares.

Além disso, tem aumentado consideravelmente o número de restaurantes ingleses que servem refeições vegetarianas.

"Com certeza, algumas pessoas deverão voltar a comer carne após essa crise, mas acredito que a maioria continuará vegetariana", disse Fox.

Segundo ela, assim que as pessoas descobrirem que a comida vegetariana é prática, saborosa e benéfica para a saúde, poucas sentirão a necessidade de voltar a comer carne.

O fato que mais alarma os ingleses, segundo a Vegetarian Society, é que muitos consumidores estão começando a associar a imagem da carne com os animais mortos devido à vaca louca ou à aftosa.

"Muitas pessoas no Reino Unido viram vegetarianas quando tomam consciência da crueldade e dos maus-tratos sofridos pelos animais nos matadouros", afirma Marly Winckler, representante da União Vegetariana Internacional no Brasil.

Winckler mantém uma página na Internet (www.vegetarianismo.com.br), que traz os princípios básicos da dieta e informações sobre os direitos dos animais, além de manter uma lista de discussão com cerca de 240 membros.

Ela acredita que muitas pessoas adotam uma dieta vegetariana por serem contra a "exploração animal".

"Para muitos, a alimentação vegan, até mesmo no Brasil, está ligada a uma questão de ética contra a exploração dos animais. Quem adota uma dieta vegetariana se preocupa mais com a saúde", afirma.

 

Please follow and like us: