Comida radicalmente natural

Comida radicalmente natural 
Fonte: Caderno Ciência e Saúde – Jornal O Povo 
Data: 11.07.99  

Com a saúde em dia, o terapeuta corporal Norval Cruz pratica um estilo alimentar raro nos dias de hoje. Não ingere nada industrializado, a maioria das frutas são consumidas in natura e raízes como o inhame e a batata-doce vão – no máximo – ao vapor. 

Como bom baiano, até os 18 anos o terapeuta corporal Norval Cruz era fã de acarajé, feijoada e outros quitutes nada "diets". A mudança radical dos hábitos alimentares veio com os estudos sobre natureza, macrobiótica e a prática esportiva. Defensor da alimentação natural, Norval não come carne e faz de frutas e vegetais a base da alimentação de sua família. "Como bastante fruta, a ata, a banana, o abacate e o abacaxi, in natura. Porque 
suco já é deformação da fruta, pior ainda os enlatados e engarrafados. Passou pela mão do homem, tem que desconfiar". 

Preparador físico, ele recomenda também a ingestão de raízes. "A pessoa deve ficar ligada à terra. É bom comer inhame, macaxeira, batata-doce. Pode ser cru ou a vapor. O alimento na sua composição já traz todos os nutrientes de que o organismo necessita. Não defendo nenhum complemento vitamínico, porque quando se está alimentado pela natureza, não precisa de mais nada". 

A boa forma aos 44 anos também é fruto da prática diária do esporte. Norval corre 15 quilômetros por dia. "Perco cerca de 4 mil calorias por dia nas minhas atividades profissionais e no treinamento. Mas reponho com a alimentação natural, através do sol e do movimento que também é alimento para o corpo e a mente". 

Também não toma remédios, porque, segundo ele, dificilmente fica doente. "O ser humano não veio para ficar doente. Não toma sol e acha que a chuva provoca gripe. Mas as doenças são produto das deficiências imunológicas de quem está distante da natureza e dos alimentos naturais". Norval faz jejum uma vez por mês e já passou 180 dias comendo só frutas e mantendo todas as atividades, inclusive as práticas esportivas. 

Atleta de longa distância, ela já participou de várias provas de maratona, colecionando medalhas e troféus. Os seus próximos desafios serão a meia maratona no Rio de Janeiro, em agosto, e a de Nova Iorque, em novembro. Norval também é consultor em consciência corporal, em um trabalho que envolve hábitos alimentares e movimento numa visão holística. "Desconfio da tecnologia, porque quanto mais distante da terra, mais o homem adoece. Ele 
deve resgatar o movimento, o alimento natural e o contato direto com as ambiências da natureza". 

Norval propõe mais que reeducação alimentar: uma integração da mente com o corpo. "Como o mundo moderno está fechado nos seus ambiente de ar condicionado, arquitetura linear, traz uma tendência da mente a ficar linear, rígida. Porque a cultura do moderno tende a aprisionar, tensionar e a policiar, mais que expandir. É assim que o homem tende mais para a doença que para a saúde". (Ana Cecília Mesquita) 

Please follow and like us:

Comida radicalmente natural

Comida radicalmente natural 
Fonte: Caderno Ciência e Saúde – Jornal O Povo 
Data: 11.07.99 

Com a saúde em dia, o terapeuta corporal Norval Cruz pratica um estilo alimentar raro nos dias de hoje. Não ingere nada industrializado, a maioria das frutas são consumidas in natura e raízes como o inhame e a batata-doce vão – no máximo – ao vapor. 

Como bom baiano, até os 18 anos o terapeuta corporal Norval Cruz era fã de acarajé, feijoada e outros quitutes nada "diets". A mudança radical dos hábitos alimentares veio com os estudos sobre natureza, macrobiótica e a prática esportiva. Defensor da alimentação natural, Norval não come carne e faz de frutas e vegetais a base da alimentação de sua família. "Como bastante fruta, a ata, a banana, o abacate e o abacaxi, in natura. Porque 
suco já é deformação da fruta, pior ainda os enlatados e engarrafados. Passou pela mão do homem, tem que desconfiar". 

Preparador físico, ele recomenda também a ingestão de raízes. "A pessoa deve ficar ligada à terra. É bom comer inhame, macaxeira, batata-doce. Pode ser cru ou a vapor. O alimento na sua composição já traz todos os nutrientes de que o organismo necessita. Não defendo nenhum complemento vitamínico, porque quando se está alimentado pela natureza, não precisa de mais nada". 

A boa forma aos 44 anos também é fruto da prática diária do esporte. Norval corre 15 quilômetros por dia. "Perco cerca de 4 mil calorias por dia nas minhas atividades profissionais e no treinamento. Mas reponho com a alimentação natural, através do sol e do movimento que também é alimento para o corpo e a mente". 

Também não toma remédios, porque, segundo ele, dificilmente fica doente. "O ser humano não veio para ficar doente. Não toma sol e acha que a chuva provoca gripe. Mas as doenças são produto das deficiências imunológicas de quem está distante da natureza e dos alimentos naturais". Norval faz jejum uma vez por mês e já passou 180 dias comendo só frutas e mantendo todas as atividades, inclusive as práticas esportivas. 

Atleta de longa distância, ela já participou de várias provas de maratona, colecionando medalhas e troféus. Os seus próximos desafios serão a meia maratona no Rio de Janeiro, em agosto, e a de Nova Iorque, em novembro. Norval também é consultor em consciência corporal, em um trabalho que envolve hábitos alimentares e movimento numa visão holística. "Desconfio da tecnologia, porque quanto mais distante da terra, mais o homem adoece. Ele 
deve resgatar o movimento, o alimento natural e o contato direto com as ambiências da natureza". 

Norval propõe mais que reeducação alimentar: uma integração da mente com o corpo. "Como o mundo moderno está fechado nos seus ambiente de ar condicionado, arquitetura linear, traz uma tendência da mente a ficar linear, rígida. Porque a cultura do moderno tende a aprisionar, tensionar e a policiar, mais que expandir. É assim que o homem tende mais para a doença que para a saúde". (Ana Cecília Mesquita) 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com