Bruce Friedrich, diretor da Vegan Outreach, PETA

O que o vegetarianismo significa para mim

Os matadouros são talvez os locais mais violentos do planeta. Os animais são rotineiramente enviados ainda a espernear e a gritar através do processo de esfolamento e desmanchamento, sangrando e morrendo do mesmo modo que aconteceria se fossem humanos. Hoje em dia, nas fazendas de criação de gado, os animais são tratados como mercadoria num armazém, o bico, a cauda e os órgãos genitais são cortados sem anestesia, são-lhes infligidas queimaduras de 3º grau (marcação com ferros), os dentes são arrancados juntamente com pedaços de carne. Os animais transportados para o matadouro morrem rotineiramente devido ao calor ou ao frio, ou morrem encostados à parte lateral do transporte ou no chão nos seus próprios excrementos. As vacas leiteiras e as galinhas poedeiras sofrem o mesmo pesadelo que os seus irmãos que são criados pela sua carne, excepto que o seu tempo na “fazenda” ou na "granja" é mais longo. Elas são mesmo assim enviadas para o matadouro e mortas, quando se encontram ainda numa fração da sua natural expectativa de vida.

Não há simplesmente qualquer desculpa para uma pessoa que se considere a si própria um ser humano ético, quanto mais um “amigo dos animais”, e que suporte este tipo de práticas, as quais são rotineiras e universais em todas as industrias que transformam animais em produtos de carne.

Se eu não consigo ver estas coisas a acontecerem, então não quero ter nenhuma participação nisso. Eu gosto de observar os campos cultivados e adoro apanhar maçãs e tomates e cenouras e outros alimentos vegetarianos. Se os matadouros tivessem paredes de vidro, como o Paul McCartney gosta tanto de dizer, todos nós seríamos vegetarianos.

Sempre que me sento para comer, eu tomo uma decisão sobre quem eu sou no mundo: quero aumentar o nível de violência, miséria, e sangue derramado no mundo? Ou, quero fazer uma escolha compassiva e caridosa? Existe tanta violência no mundo, desde regiões desoladas pela guerra na África e na Europa, até às nossas próprias cidades. A maioria desta violência é difícil de compreender, quanto mais influenciar. O veganismo é uma área onde todos e cada um de nós pode fazer a diferença, de cada vez que se senta para comer. Eu considero que tenho um grande poder, pela oportunidade que me é dada de fazer uma opção pela paz e compaixão de cada vez que como, simplesmente ao não encorajar a violência e sofrimento contra os animais.

Please follow and like us: