Ativismo pelos Direitos Animais

87. Quais são as formas de ativismo pelos direitos dos animais? 

Primeiro vamos adotar uma definição abrangente de ativismo que  consiste no processo de agir em apoio a uma causa, em contraste  com lamentar-se em particular e expressar desgosto com o atual  estado de coisas. 

Dado isso, o ativismo pelos DA tem um grande alcance, com ações  relativamente simples e inócuas em um extremo e dificultosas  ações político-judiciais em outro. Cada indivíduo deve tomar uma  decisão pessoal sobre em que ponto dos dois extremos ele vai  atuar. 

Para alguns, as ações ilegais ou uso da forca é um imperativo  moral; outros poderão condenar esses atos, ou eles poderão ser  impraticáveis (por exemplo, um advogado pode ajudar os animais  melhor através do processo legislativo-judiciário do que  participando de ataques, e possivelmente tendo sua licença  cassada). 

A seguir são relacionadas algumas amostras do ativismo pelos DA,  começando pelo extremo mais simples. O espectro de atividades  pode ser dividido em 4 zonas:  ações pessoais, conversão,  organização e desobediência civil. 

Consideremos primeiro as Ações Pessoais. Aqui estão algumas das  ações que você pode tomar em apoio aos DA: 

– Aprender:  informe-se a respeito dos assuntos envolvidos. 
– Vegetarianismo ou Veganismo:  se torne um vegan ou vegetariano. 
– Moda livre de crueldade:  evite couro e peles. 
– Compras livres de crueldade:  evite produtos que envolvam teste  em animais. 
– Investimento com consciência:  evite companhias que exploram  animais. 
– Hábitos pró-animais:  evite pesticidas, detergentes, etc. 
– Regra de Ouro:  aplique-a a todas as criaturas e viva de acordo  com ela. 

A conversão é o processo de "espalhar a idéia". Aqui estão  algumas das maneiras pelas quais isso pode ser feito: 

– Conte à sua família e aos seus amigos sobre a proposta dos DA. 
– Escreva cartas e e-mail para os legisladores, jornais, revistas,  etc. 
– Escreva livros e artigos. 
– Crie documentários em vídeo. 
– Faca panfletagem e divulgação. 
– Dê palestras em escolas, empresas e outras organizações. 
– Participe de comitês que supervisionam as pesquisas em animais. 
– Faca piquetes, boicotes, demonstrações e protestos. 

Organização é uma forma de meta-panfletagem – ajudando outros a  espalharem a idéia. Aqui estão algumas das maneiras de fazer isso: 

– Filie-se a uma organização relacionada aos DA. 
– Contribua com tempo ou dinheiro para uma organização relacionada  aos DA. 
– Funde uma organização pelos DA. 
– Atue diretamente pelos DA junto aos políticos e legisladores. 

A ultima categoria de atuação, a desobediência civil, é a mais  controversa e as questões restantes desta seção explicarão com  maior detalhe. Algumas pessoas definem o limite aqui;  outros  não. É uma decisão pessoal. 

Aqui estão alguns dos métodos usados para assegurar os direitos  dos animais de maneira mais enérgica: 

– Ocupação ou invasão. 
– Obstrução e perturbação das pessoas envolvidas nas atividades  de exploração animal (por exemplo, sabotagem de caçadas). A idéia  é tornar dificultoso ou embaraçoso para as pessoas continuar  essas atividades. 
– Espionagem e infiltração de industrias e organizações de  exploração animal. As informações e evidencias coletadas podem  ser uma arma poderosa para os ativistas dos DA. 
– Destruição de propriedades relacionadas à exploração e abuso  dos animais (equipamento de laboratório, carne e roupas nas lojas  e estoques, etc.). A idéia é tornar mais custoso e menos lucrativo  para essas industrias animais. 
– Sabotagem das industrias de exploração de animais (por exemplo,  destruição de veículos e edifícios). A idéia é impossibilitar as  atividades exploratórias. 
– Invasões à lugares associados com a exploração animal (coletar  evidencias, sabotar, libertar animais). 

Pode se notar pela lista acima que o ativismo dos DA se estende a  uma grande variedade de atividades que inclui ambas ações que  seriam convencionalmente consideradas como legais e inofensivas e  ações ilegais ou de risco contra as industrias de exploração  animal. A maior parte do ativismo dos DA se enquadra na primeira  categoria, e de fato, as pessoas podem apoiar essas ações legais  ao mesmo tempo que condenam as ações ilegais. 

As pessoas que pensam, com certo temor, em comparecer a um encontro  de um grupo de DA não precisam ter medo de se envolver com  extremistas, ou de ser obrigado a participar de ativismo extremo.  Esses interessados vão encontrar um grupo de pessoas extremamente  bem-comportadas, em sua maioria professores, artistas,  programadores, etc. Os ativistas extremistas são essencialmente  desorganizados e não podem se dar ao luxo de reunirem-se em lugares  públicos devido à atenção das autoridades da lei. 
DG 

Uma pessoa pode fazer toda a diferença no mundo … Pela primeira  vez na história humana, temos o destino do planeta inteiro em  nossas mãos. 
Chrissie Hynde (vocalista) 

Essa é a verdadeira alegria de viver;  ser útil a um objetivo  reconhecido por si próprio como importante, e ser uma forca da natureza em vez de ser apenas mais uma pessoa obtusa, tensa e  egocêntrica. 
George Bernard Shaw (dramaturgo, Nobel 1925) 

Nada é mais poderoso que um indivíduo agindo pela consciência de  sua sociedade, ajudando assim a reviver a consciência coletiva. 
Norman Cousins (escritor) 

Veja também: 5, 88 – 93, 95 

Please follow and like us: