Anúncios não podem vincular leite a perda de peso – The New York Times

Uma campanha publicitária nacional que associa laticínios à perda de peso será restringida porque não existem pesquisas que apóiem essa alegação, de acordo com a Comissão Federal do Comércio (FTC). Os anúncios, concebidos pela organização setorial que promove o setor de laticínios e supervisionados pelo Departamento da Agricultura, usam títulos como "Leite na dieta: Perca Peso!", e sugerem que três doses diárias de laticínios podem ajudar as pessoas a manter a forma.

O esforço inclui uma campanha chamada "Body by Milk", dirigida a adolescentes. A campanha é estrelada por Alex Rodriguez, jogador de beisebol do New York Yankees, e Carrie Underwood, vencedora do programa "American Idol". A alegação de que há um vínculo entre consumir laticínios todos os dias e perder peso vem sendo contestada há muito tempo pelo Comitê de Médicos pela Responsabilidade na Medicina, uma organização de pesquisa que promove uma dieta livre de produtos animais.
 
O grupo apresentou petição à FTC em 2005 argumentando que os anúncios eram enganosos. Em carta à organização, em 3 de maio, Lydia Parnes, diretora do serviço de proteção ao consumidor na FTC, disse que representantes do Departamento de Agricultura e produtores de leite haviam concordado em alterar os anúncios e os materiais de marketing relacionados à campanha "até que novas pesquisas ofereçam provas mais fortes e conclusivas de uma associação entre consumo diário de laticínios e perda de peso".
Na quinta-feira, o Conselho Nacional de Laticínios ainda tinha uma seção em seu site dedicada à alegação de que o uso de laticínios propicia queda de peso. Mas o site, bem como alguns dos anúncios, será alterado, disse Greg Miller, vice-presidente executivo do conselho e doutor em nutrição. "Como qualquer outra campanha de marketing, depois de algum tempo é preciso renovar e oferecer algo novo aos consumidores", disse Miller. "É isso que está acontecendo aqui".
Neal Barnard, presidente do grupo que levou a questão à FTC, disse que continuaria a pressionar o setor de laticínios quanto a outras alegações, entre as quais a de que o cálcio ajuda a prevenir fraturas ósseas em mulheres mais velhas. "Creio que as pessoas começarão a reconhecer que o setor de laticínios, que sempre teve essa imagem caseira, é uma imensa entidade comercial que exagera para vender seus produtos", disse Barnard. Miller afirmou que a maioria dos profissionais de medicina concorda em que os laticínios contribuem para a saúde óssea e podem ajudar as pessoas a manter um peso saudável.
"Creio que haja uma minoria de pessoas que falam muito alto, por aí", disse. "Trata-se de um grupo de vegetarianos radicais que não quer que ninguém coma laticínios". Os laticínios foram alvo de revisão na mais recente alteração das normas dietéticas federais, que recomendam que as pessoas consumam mais leite de baixo teor de gordura e mais laticínios.
Um comitê consultivo que ajudou a estabelecer as normas mencionou um relatório , em parte financiado pelo setor de laticínios, cuja conclusão é a de que os laticínios com baixo teor de gordura não contribuem necessariamente para os ganhos de peso, e que eles contém certos nutrientes que poderiam ajudar as pessoas a cumprir as recomendações dietéticas. As normas ampliaram a dose diária de laticínios com teor baixo ou zero de gordura para três copos diários, ante dois na versão anterior.
Marion Nestle, professora de nutrição na Universidade de Nova York, recebeu positivamente o acordo. Embora consuma laticínios regularmente e não conteste seu valor nutritivo, ela disse que a dieta das pessoas pode ser saudável sem eles. "Aqueles anúncios eram ridiculamente enganosos", afirma.
 
Tradução: Paulo Eduardo Migliacci ME

The New York Times

Please follow and like us: