Além da soja – Luc Vankrunkelsven

Encerrou-se, ontem, nosso projeto ‘OMC e fluxos de alimentos. Agricultores flamengos e brasileiros querem participar das decisões’. Hoje este mesmo governo flamengo inicia um novo projeto: ‘Além da soja’.

E justamente hoje foi publicado, no periódico ‘Landbouwleven’ [‘Vida Rural’], um depoimento do pecuarista leiteiro Ronny Aerts, de ‘De Ploeg’, intitulado: “Landbouw in de nabijheid van het regenwoud” [Agricultura na vizinhança da floresta tropical].

 

Ria, Ronny e Dirk: embaixadores por uma pecuária leiteira sem soja

Eu falo e escrevo muito sobre soja e assuntos correlatos, mas Ria, Ronny e Dirk é que fazem o trabalho pesado: enquanto agricultores, divulgam a história da soja na própria comunidade rural. Dirk Rummens quebra o silêncio em torno da soja numa das próximas edições de ‘Boer & Tuinder’ [Agricultor & Horticultor’]. Com seu marido Dirk Mouton, Ria De Wulf administra a propriedade de pecuária leiteira orgânica ‘De Zwaluw’. Ria testemunha que é possível atuar de outra forma e conta com entusiasmo sobre a alma da agricultura familiar brasileira. Com os olhos de agricultor e agricultora, Dirk, Ria e Ronny viajaram para o Brasil para ver, ouvir, sentir, cheirar e aprender. Como a maioria dos agricultores e agricultores, eles são mais pessoas de ação do que de conversa. São pessoas de ação ‘que valem ouro’, que – sem alarde – se converteram do ‘Ouro Verde’ brasileiro que lhes foi imposto para uma propriedade-que-caminha-com-seus-próprios-pés. Sem (ou com pouca) ração concentrada! Se isto lhes renderá ouro, eles ainda precisam descobrir. Enquanto isso, recebem a admiração e o apoio de numerosos consumidores que se preocupam com a Terra, com a agricultura e com alimentos com alma.

 

Mudanças no pensamento, coração e ações

Esta também é a última das minhas crônicas sobre soja, que funcionaram como um elo entre o drama da soja nos seus mais variados aspectos e o futuro: além da soja! Não é que sejamos contra a soja, mas nós queremos – com a máxima urgência – uma nova abordagem. E isto já deve ter ficado claro a partir destas crônicas e do manifesto conjunto de Fetraf e Wervel.

O projeto ‘Além da soja’ reunirá, nos próximos três anos, Fetraf-Sul/CUT, PIME (Provinciaal Instituut voor Milieu Educatie [Instituto da Província para Educação Ambiental]), da Província Antuérpia, Wervel e ‘Ferm Local’ (agricultores flamengos e valônios que, em suas propriedades, desenvolvem alternativas para a importação massiva de proteínas d’além-mar). Queremos trabalhar juntos para sensibilizar o público europeu e brasileiro em relação a soja e modelos agrícolas. Nós nos dirigimos tanto aos jovens (via PIME) quanto aos agricultores no Brasil (Fetraf), na Bélgica (Ferm Local) e em Flandres (Wervel). Graças ao nosso vínculo europeu com as organizações francesas, também queremos nos dirigir às faculdades de agronomia e escolas técnicas agrícolas. Assim esperamos provocar mudanças no pensamento, coração e ações de jovens futuros agricultores. Será que esta conversão irá se realizar, na lavoura e na granja?

 

Talvez essas crônicas sejam uma pequena contribuição. Para que os navios noturnos não continuem nos ludibriando.

 

1o de julho de 2005.

 

Please follow and like us: