Artigos de jornais e revistas

Pecuária continua líder de desmates na Amazônia

Nathália Clark 05 de Setembro de 2011 Divulgação de dados podem ser utilizados no debate do Código Forestal, afirmam ministros Izabella Teixeira (do Meio Ambiente) e Aloízio Mercadante (de Ciência e Tecnologia). Foto: Nathália Clark Áreas de pastagem dominam 447 mil km² (ou 62%) dos 719,2 mil km² de áreas desflorestadas na Amazônia, enquanto que a agricultura ocupa apenas 4,9%. Os dados inéditos  divulgados na última sexta-feira (2) fazem parte do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia (PPCDAM), do governo federal. Para Gilberto Câmara, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os resultados

Onda vegetariana

Por questões éticas, ambientais e de saúde, cada vez mais pessoas eliminam a carne de seu cardápio Ciça Vallerio Enquanto o Pavilhão da Bienal do Ibirapuera se prepara para receber mais de 22 mil visitantes na NaturalTech, única feira internacional de produtos naturais do País, que abre suas portas no dia 21, adeptos da dieta sem carne celebram uma onda de ofertas. Publicações, filmes, restaurantes, serviços, sites e blogs trazem à tona um tema ainda repleto de estigmas e, muitas vezes, alvo de piadas: o vegetarianismo. Ao mesmo tempo, mitos a respeito da alimentação que exclui do cardápio itens de

Hello, goodbye!…

Quem diria, nos anos 60, imaginar Paul McCartney, em 2011, combinando karaokê com a beatlemania. Mas foi exatamente o que aconteceu no domingo passado, após 21 anos sem o beatle ir ao Rio de Janeiro. Para a frustração dos cariocas e brasileiros de todo o país, que o aplaudiram como seu ídolo, aos 68 anos, preservando o carisma que levou ao estádio Engenhão nada menos que 45 mil pessoas, que cantaram juntas. Carismático, ao contrário dos demais que formaram com ele uma banda histórica, e que mudou a música no mundo. Considerado atraente pelas mulheres nos anos sessenta, Paul sempre

ABRAN defende atualização de diretrizes brasileiras para alimentação saudável

Médico nutrólogo analisa 7ª edição do Dietary Guidelines for Americans, do USDA. As diretrizes para alimentação saudável, do Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Sáude, precisam ser reformuladas para entrar em acordo com as necessidades nutricionais atuais do País. Essa é a opinião da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), após analisar a 7ª edição do Dietary Guidelines for Americans, com as recomendações para a alimentação, elaboradas pelo Departamento de Agricultura Americano (USDA, na sigla em inglês) e pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (HHS). A publicação é atualizada a cada cinco anos, baseada