História Geral

Os primeiros vegetarianos: como tudo começou!

Longe de ser uma tendência recente, o vegetarianismo começou a dar nas vistas na década de 60 do século XX, no entanto, a verdade é que já existem vegetarianos há muitos séculos. Existem provas que grupos religiosos egípcios adoptaram uma dieta anti-carne na longínqua era de 3200 a.C., simplesmente porque acreditavam que uma alimentação centrada nas plantas era meio caminho andado para uma reencarnação bem-sucedida. A prática do vegetarianismo tem as suas raízes nas civilizações antigas da Índia e da Grécia. Impulsionado por crenças religiosas e filosóficas, os primeiros grupos de vegetarianos não consumiam carne porque defendiam a não-violência contra

O Utopista portuense Ângelo Jorge: Subsídios para a sua biografia

Iza Luso Barbosa(Ateneu Comercial Do Porto)  imediato o projecto com todo o interesse, e acolhi com simpatia a ideiade publicar os resultados da minha investigação na revista E-topia, aproveitando para saudar osprincípios que a informam e para salientar o facto de, ao endereçar convites aos vários sectores doconhecimento, a sua Direcção estar a contribuir para a construção informada de uma visão maisglobalizante e consequentemente mais completa dos temas em foco.Utopia e biografiaToda a obra humana – e a literária não escapa a esse conceito – é, em grande medida,autobiográfica; no caso das obras literárias utópicas, informadas por desejos pessoais, o

A fotografia como prova documental da robustez dos vegetaristas, vegetarianos e frugívoros

Fátima Vieira Faculdade de Letras da Universidade do Porto Citação: Fátima Vieira, " A fotografia como prova documental da robustez dos vegetaristas, vegetarianos e frugívoros", E-topia: Revista Electrónica de Estudos sobre a Utopia, n.º 5 (2006). ISSN 1645-958X. <http://www.letras.up.pt/upi/utopiasportuguesas/revista/index.htm> 1. O círculo de vegetaristas do Porto Nas duas primeiras décadas do século XX registou-se, na cidade do Porto, uma movimentação a favor do vegetarismo. Distinguiu-se como líder desse movimento Ângelo Jorge, autor da utopia frugívora Irmânia, recentemente reeditada por José Eduardo Reis no âmbito da Colecção Biblioteca das Utopias, da Editora Quasi. Mas também médicos de renome e individualidades da

A verdadeira história do frugivorismo

Na Califórnia de 1969, um certo Gordon Freewill, pseudônimo de Moln Thomas (filho escocês de um sueco e uma galesa que migraram para os Estados Unidos quando ele tinha dois anos), criou uma variante do vegetarianismo chamada frugivorismo ou fruitarianism em inglês. Sua idéia era que as únicas comidas permitidas fossem frutas, grãos e sementes que caíssem naturalmente no solo, para não ferir nenhum tipo de ser vivo. Como o ambiente e a época eram propícios, Gordon logo angariou uma legião de hippies seguidores. Com eles, plantou um grande pomar na fazenda Yerba Buena, onde criaram uma comunidade dita autônoma.