Pelas pessoas

Carne processada está associada com desenvolvimento de diabetes

  Data:            09/02/2012Autor(a):       Rita de Cássia Borges de CastroFotógrafo:    Rita C. B. Castro Estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Washington na revista The American Journal of Clinical Nutrition demonstrou que o consumo de carnes processadas foi associado com maior risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2. Trata-se de um estudo prospectivo que acompanhou 2001 indivíduos durante cinco anos, com o objetivo de avaliar a associação entre o consumo habitual de carne processada (mortadela, salsicha, linguiça, presunto, salame, entre outros) e carne vermelha no aumento da incidência de diabetes. Os pesquisadores avaliaram a ingestão dietética e o consumo habitual de alimentos durante

Ritmo intenso, gestos repetitivos, jornadas extenuantes. A dura realidade nos frigoríficos

A Norma Regulamentadora dos Frigoríficos deve contemplar três questões fundamentais para enfrentar a epidemia de lesões e mutilações que vem abatendo, literalmente, os trabalhadores nas indústrias da alimentação: a redução da intensidade do ritmo e das longas e extenuantes jornadas, além de mudanças ergonômicas nos ambientes de trabalho. Esta foi a principal decisão da reunião realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação (Contac/CUT) nesta quarta-feira (15), na sede do Sindicato de Caxias do Sul, na serra gaúcha. A reportagem é de Leonardo Severo e publicado pelo portal da CUT, 16-09-2011. Participaram do encontro dezenas de lideranças sindicais

Vegetarianos sofrem menos de síndrome metabólica

Uma dieta vegetariana (quando equilibrada) pode trazer muitos benefícios para a saúde. Um novo estudo desenvolvido na Loma Linda University (EUA) mostra que uma das vantagens de não comer carne é que a pessoa corre menos riscos de desenvolver síndrome metabólica. A síndrome metabólica é o nome dado a um conjunto de factores que oferecem riscos para a saúde. A pessoa sofre dessa condição quando tem pelos menos três desses factores, que incluem, dentre outros, hipertensão, grande perímetro abdominal, níveis elevados de triglicéridos e níveis baixos de colesterol HDL. Para o estudo os cientistas examinaram mais de 700 adultos, sendo

Frigorífico deve adequar condições de trabalho

Insalubridade da atividade laboral exige medidas de ergonomia e redução de riscos Não existem níveis seguros para o trabalho na linha de produção de frigorífico. A frase, plagiada do texto impresso em maços de cigarros, revela com exatidão a situação dos trabalhadores nas linhas de produção do Frigorífico Minerva, de Barretos, interior de São Paulo, e as condições similares em outros grandes frigoríficos. Os Procuradores do Trabalho, Charles Lustosa Silvestre e Sílvio Beltramelli Neto, do Ofício de Ribeirão Preto do Ministério Público do Trabalho, passaram dois dias em diligência na empresa, acompanhados pela médica Consuelo Generoso Coelho de Lima e