6 A bicicleta toma a cidade

Quando fui morar em Bruxelas, em 1992, eu raramente encontrava qualquer outra pessoa que também arriscava sua vida. Ou seja, não havia ciclistas. Desde 1994, eu combino uma bicicleta dobrável da marca Brompton com o trem, metrô, bonde, ônibus e, ocasionalmente, o carro. Também me desloquei, durante anos, usando apenas a bicicleta. E eis que o impossível se tornou possível. Há vários anos, Bruxelas copiou o sistema parisiense de bicicletas públicas e há quatro anos a bicicleta dobrável se tornou moda. Nossa organização Wervel causa inveja em muitas ONGs: há oito anos, em vez de um veículo corporativo, cada funcionário tem uma Brompton corporativa à disposição.

O Príncipe Ciclista

E, na verdade, desde algumas semanas, as comportas da barragem se abriram completamente. Uma das ruas principais, a Anspachlaan [Avenida Anspach], foi reduzida de quatro para duas pistas. Em ambos os lados da Avenida, uma pista para automóveis foi transformada em uma ampla ciclovia. Resultado imediato: constantes congestionamentos, como só são imagináveis em São Paulo. Mas o ciclista se desloca como um príncipe ao lado dos motoristas transtornados. Estou curioso para saber como isso vai terminar.

 

São Paulo ainda não chegou lá, mas também aqui a bicicleta começa a aparecer timidamente. Ciclovias estão sendo planejadas e nos vagões do metrô serão reservados lugares para algumas bicicletas. Ninguém mais aguenta os constantes congestionamentos. As cidades estão se tornando inabitáveis. O transporte público não foi adaptado às necessidades de mobilidade de tantas pessoas. A necessidade de mudança agora ressoa até a Câmara Federal e o Senado. O Jornal do Senado dedica um caderno especial de “Cidadania” ao tema. Sistemas de aluguel de bicicletas, como em Nova York e em várias cidades europeias, são apresentados como exemplos inspiradores. Há anos Curitiba tem ciclovias, mas com cruzamentos perigosos. Agora, estes estão sendo melhorados. O Rio de Janeiro tem a maior malha de ciclovias, seguida por Sorocaba. Em Mauá, região metropolitana de São Paulo, a estação de trem conta com um verdadeiro estacionamento para 2 mil bicicletas – com serviço de reparos. Um intercâmbio entre Leuven e outras cidades da Bélgica não seria má ideia. Em cooperação com a NMBS [Companhia Ferroviária Nacional da Bélgica], a ONG de economia solidária Velo faz a manutenção, o reparo e a guarda de milhares de bicicletas. Em Bagé, no Rio Grande do Sul, há ônibus com um espaço do lado externo para acomodar duas bicicletas. É um começo.

Rei Carro e Imperador Caminhão

Por enquanto, andar de bicicleta no Brasil ainda é muito perigoso. Mesmo que, proporcionalmente à crescente frota automotiva, o número de ciclistas seja muito pequeno, ocorreram em média quatro mortes por dia nos últimos três anos. Machismo e comportamento beligerante no trânsito são “bons amigos”. Será necessária uma grande mudança de mentalidade dos motoristas para compartilhar o espaço público com os ciclistas e os pedestres. Nessa terra do “rei carro” e “imperador caminhão” os ciclistas e pedestres são realmente os usuários vulneráveis. Só em São Paulo dois pedestres perdem a vida diariamente, porque os motoristas não respeitam a faixa de travessia dos pedestres.

O senador Eduardo Suplicy já está totalmente a favor do uso da bicicleta na cidade. Se depender dele e de alguns outros senadores, a silenciosa revolução das bicicletas vai continuar. Um impulso é dado semanalmente. Aos domingos, uma das pistas para automóveis que cruza a cidade se transforma em uma imensa ciclovia. Nessa ocasião, milhares de paulistas sentem-se príncipes por um breve momento. Na bicicleta.

 

Gostaria de saber se os participantes do Rio+20 vão notar o sistema de bicicletas da cidade.

 

Brasília, 17 de abril de 2012.

Mais notícias de ciclismo no Brasil:

Rodas da Paz: www.rodasdapaz.org.br

Escola de Bicicleta: www.escoladebicicleta.com.br

Bicicleta: www.bicicletas.org.br

Bike Rio – aluguel de bicicletas no Rio de Janeiro: www.mobilicidade.com.br/bikerio.asp

www.rioguiaoficial.com.br/en/en/noticias/understanding-bike-rio [texto em inglês]

Internacional:

Nova Iorque: www.bikenewyork.org; www.nycbikemaps.com

Copenhague: desde 1995, a pioneira nas bicicletas de aluguel espalhadas pela cidade – www.bycyklen.dk; www.cyclecopenhagen.dk

Paris: com 23.900 bicicletas para alugar em 1.751 estações, um recorde europeu absoluto, mas a cidade de Lyon conta com o sistema mais bem distribuído, mais acessível e mais simples para o usuário – www.velib.paris.fr

Londres: www.tfl.gov.uk

Barcelona: www.bicing.cat; www.bikerentalbarcelona.com

Bruxelas: com 5 mil bicicletas, 27 mil associados mensalistas e, em 2012, 144 mil usuários eventuais. Veja: www.villo.be; www.provelo.org

Amsterdã ameaça ficar saturada de ciclistas. Formam-se grandes filas principalmente para a balsa atrás da Estação Central.

Please follow and like us: