Livros vegetarianos:
Compre aqui
Rádio Veg
Destaques Veg
Vegetarianismo
Fundamentos Veg
Vegetarianos
Depoimentos
Mix
 

Login






Perdeu sua Senha?
Não se cadastrou? Cadastre-se já !


Advertisement




Palavras mais comuns PDF Imprimir E-mail

Vegetariano: Para fins de ingresso na IVU, o vegetarianismo inclui o veganismo e define-se como a prática de não comer carne, aves ou peixe ou seus subprodutos, com ou sem uso de laticínios e ovos.

Subdivididos muitas vezes em ovolacto e lacto, os vegetarianos podem tentar ou não reduzir seu uso de produtos animais não alimentícios, como fazem os vegans. 

Ovo-lacto-vegetariano: o mesmo que VEGAN, mas também come ovos e laticínios. Esta é a forma mais "popular" de vegetarianismo. 

Lacto-vegetariano: o mesmo que VEGAN, mas também come laticínios.

Veg ou veggie: apelido resumido de um VEGETARIANO; costuma incluir os VEGANs.

Vegetariano estrito: originalmente o mesmo que vegan; agora pode significar vegan ou vegetariano.
 

 


A palavra "vegetariano" foi cunhada em 1847. Foi usada formalmente pela primeira vez no dia 30 de setembro daquele ano por Joseph Brotherton e outros, em Northwood Villa, em Kent, na Inglaterra. A ocasião foi a reunião inaugural da Sociedade Vegetariana do Reino Unido.
 

A palavra vem do latim "vegetus", que significa íntegro, são, fresco, vivaz (não deve ser confundida com "vegeto-ariano", ser humano mítico que alguns imaginam viver apenas de vegetais mas não de nozes, frutas, grãos etc.)
 

Antes de 1847 os que não comiam carne eram mais conhecidos como "pitagóricos" ou seguidores do "sistema pitagórico", por causa do "vegetariano" Pitágoras, da Grécia Antiga.
 

A definição original de "vegetariano" era "com ou sem ovos ou laticínios", e esta definição ainda é usada hoje pela Sociedade Vegetariana. No entanto, a maioria dos vegetarianos da Índia excluem os ovos de sua dieta, assim como os das regiões clássicas do Mediterrâneo, como Pitágoras.
 

Por que tornar-se vegetariano?

Se você tiver oportunidade de salvar uma vida, ou milhares de vidas, você não aproveitaria? Retirar os produtos animais de seu cotidiano é uma coisa bem simples de fazer com efeitos de longo alcance. Dizem que os animais humanos são tão evoluídos, com tantos dons... Não deveríamos usar o dom da compaixão para salvar outros animais? - Lise
 

Para redimir-se da culpa de saber que algum animal morreu por você. Isso não basta? Mas para os céticos, é também um hábito saudável. - Lauren
 

Envie mais respostas!

 


Definições de alguns outros termos confusos

Semivegetariano: come menos carne que a média das pessoas. Ver também PSEUDO-VEGETARIANO.

Pseudo-vegetariano: Alega ser vegetariano mas não é. Muitas vezes usado por VEGETARIANOS  para descrever SEMI-VEGETARIANOS e PISCITARIANOS.

Piscitariano: o mesmo que VEGETARIANO, mas consome peixe. (em geral é alguém que evita técnicas agroindustriais...) Ver também PSEUDO-VEGETARIANO.

Frutariano ou frugívoro: o mesmo que VEGAN, mas só come alimentos que não matam a planta (maçãs podem ser colhidas sem matar a planta, cenouras não.)

Consumidor de vegetais: Qualquer pessoa que consuma vegetais. Não é, necessariamente, um VEGETARIANO.

Herbívoro: Come principalmente capim ou plantas. Não é necessariamente um VEGETARIANO.

Comedor de plantas: Come principalmente plantas. Não é necessariamente um VEGETARIANO.

Não comedor de carne: Não consome carne. A maioria das definições não consideram peixe, aves ou frutos do mar como carne. Gordura e óleos animais, tutano e pele não são considerados carne.

Kosher: Preparado segundo o conjunto complexo de leis dietéticas judaicas. Em nenhum caso é o mesmo que VEGAN. Em nenhum caso é o mesmo que
OVOLACTO-VEGETARIANO. Mesmo produtos KOSHER que contenham laticínios podem conter também alguns tipos de animais que não são considerados "carne".

Pareve/Parve: Categoria das leis dietéticas KOSHER. Feito sem carne ou produtos lácteos ou seus derivados. Ovos e peixe propriamente dito são pareve, ostras não.

Não-lácteo: Não contém percentagem suficiente de gordura do leite para ser chamado de laticínio. Pode conter leite ou derivados do leite.

Não-cárneo: Feito sem carne. Pode incluir ovos, leite, queijo. Às vezes também inclui gordura animal, peixe, frutos do mar, aves.
 

O que é Macrobiótica?

de um membro da ivu-sci:
Segundo Donna Secker e Stanley Zlotkin, em Essentials of Human Nutrition (Pontos essenciais de nutrição humana), "a dieta macrobiótica consiste em arroz integral, leguminosas, verduras e legumes com pequenas quantidades de alimentos fermentados, nozes, sementes e frutas; não se consomem produtos animais" (não há muita certeza sobre esta última frase - pensei que peixe fosse permitido na dieta macrobiótica).

Os autores alertam que "em crianças que consomem a dieta macrobiótica, demonstrou-se uma relação clara entre a dieta, a ingestão de nutrientes e provas físicas e bioquímicas de deficiência de vários nutrientes, como ferro, vitaminas B12, D e riboflavina. Já foram relatadas taxas mais lentas de crescimento e maior incidência de doenças nutricionais como raquitismo, kwashiorkor (deficiência nutricional causada pelo excesso de carboidratos e falta de proteína e gordura na alimentação) e anemia.

Vegan: exclui a carne de animais (carne vermelha, aves, peixe e frutos do mar), produtos animais (ovos e laticínios) e geralmente exclui o mel e o uso de produtos animais (couro, seda, lã, lanolina, gelatina...).

As principais sociedades vegans desaprovam o mel, mas alguns "vegans" ainda o usam. Alguns "vegans" também se recusam a comer produtos que contenham levedura.

Vegan dietético: segue a dieta vegan mas não tenta excluir os usos não alimentícios dos animais.
 

Por que vegan?

O VEGANISMO pode ser definido como uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do prático, todas as formas de exploração e tratamento cruel de animais na alimentação, no vestuário e com qualquer outro fim.

Em termos dietéticos refere-se à prática de abrir mão de *todos* os produtos animais, como carne, peixe, aves, ovos, leite animal, mel e seus derivados.

O repúdio às práticas cruéis inerentes à produção de laticínios e à criação de animais e aves de corte é, provavelmente, a razão mais comum para a adoção do veganismo, mas muitas pessoas são levadas a ele por razões de saúde, ecológicas, espirituais e outras.

"A terra, a energia e os recursos hídricos usados pela pecuária são de 10 a 1000 vezes maiores do que o necessário para produzir quantidade equivalente de alimentos vegetais. E a pecuária não apenas *usa* estes recursos, ela os *esgota*.

É um caso de registro histórico. A maior parte da erosão do solo, do esgotamento das reservas hídricas do subsolo e do desflorestamento do mundo - fatores que agora ameaçam a própria base de nosso sistema alimentar - resulta desta forma especialmente destrutiva de produção de alimentos."
(Keith Akers, p. 81, "A Vegetarian Sourcebook", 1989). 
 

Palavras mais comuns:

Vegano: exclui a carne de animais (carne vermelha, aves, peixes e frutos do mar), produtos animais (ovos e laticínios) e geralmente exclui o mel e o uso de outros produtos animais (couro, seda, lã, lanolina, gelatina...). As principais sociedades veganas condenam o mel, mas alguns "veganos" ainda o usam.

Vegetariano estrito: originalmente o mesmo que vegano; agora pode significar vegano ou vegetariano. Vegetariano puro: o mesmo que vegetariano estrito.
 

Como se pronuncia "vegan"?

A palavra foi inventada por Donald Watson na década de 1940. Em inglês, pronuncia-se víí-gan. É esta a pronúncia mais comum no Reino Unido hoje em dia. Ninguém pode usar esta pronúncia com más intenções, e assim esta é também a pronúncia politicamente correta. (Nota da tradutora: em português, não há dúvida sobre como se pronuncia. Fala-se como se escreve.)

Nos Estados Unidos, são comuns as pronúncias "vii-jan" e "veign", além de "vii-gn", embora a Sociedade Vegan Americana diga que a pronúncia correta é a britânica.

O Reino Unido, os Estados Unidos e outros lugares apresentam outras pronúncias.

Este ponto é às vezes delicado e sensível, e assim prepare-se para mudar sua pronúncia... 
 

Um pouco de história

Eis aqui algumas palavras do próprio Donald nos primeiros anos (1945): 

'Os termos "Vegetariano" e "Frutariano" já estão ligados a sociedades que permitem os "frutos" de vacas e galinhas, e portanto (...) devemos criar uma palavra nova e apropriada (...) Usei o título "The Vegan News". Se o adotarmos, nossa dieta logo se tornará a dieta vegan e aspiraremos à condição de vegans.
 

Quantos vegetarianos há no mundo? ou Que percentagem da população do mundo é vegetariana?
 

Pergunta impossível de responder, em parte porque ninguém concorda com a contagem, e porque boas pesquisas são caras... Mas procure em  Statistics / How Many Vegetarians [Estatísticas /Quantos Vegetarianos], no Índice de Artigos, algumas pesquisas que já foram realizadas.

Para obter detalhes sobre as sociedades membros da IVU e organizações que nos apóiam e patrocinam, ver Membros da IVU (Members of IVU). Não fornecemos detalhes sobre indivíduos que nos dão apoio.
 

Há algum sistema para conferir certificados vegans a produtos alimentícios e suplementos dietéticos?

Há alguma lei que regule a menção de "adequado para vegetarianos/vegans" em rótulos de alimentos?

Queremos respostas - isso muda de país para país...
 

Veja também: 

  • Definições

  • (Folheto Informativo da Sociedade Vegetariana do Reino Unido)
   

Comentários dos usuários  
 

 


Adicionar comentário
Apenas utilizadores registados podem comentar um artigo.

Nenhum comentário



mXcomment 1.0.5 © 2007-2014 - visualclinic.fr
License Creative Commons - Some rights reserved
 




Compre aqui
Veja outros livros relacionados


Powered by: Estado Virtual